O pacote

Sobre a decisão da Câmara de incluir Ministério Público e Judiciário no pacote que pune abuso de autoridade. É só olhar a lista de deputados, com os votos pró e contra, pra saber que não se deve tentar ver coerência nas decisões de acordo com as ideologias.

A esquerda votou a favor das medidas que não poupam promotores, procuradores e juízes com o argumento básico de que nenhuma instituição deve ficar imune a avaliações e punições. E a maioria da direita aproveitou para tentar ir à forra contra quem a ameaça e pode pegá-la mais adiante.

Eu respeito a opinião do ex-ministro da Justiça Eugênio Aragão. Este MP tão preocupado com o combate à corrupção e com a retidão das instituições (e que enviou o pacote à Câmara) não deve ser o mesmo que permitiu que o mafioso Eduardo Cunha agisse, livre a solto, até comandar a cassação de Dilma, para só depois ser caçado (com ‘ç’ mesmo) pelos que o ignoravam. Deve ser outro MP.

Vejam como foi o voto de cada um.

 SIM (pela inclusão de membros de MP e Judiciário na lista de puníveis por abuso de autoridade)

 Alberto Fraga (DEM) – DF

Alexandre Leite (DEM) – SP

Claudio Cajado (DEM) – BA

Efraim Filho (DEM) – PB

Elmar Nascimento (DEM) – BA

Felipe Maia (DEM) – RN

Francisco Floriano (DEM) – RJ

Hélio Leite (DEM) – PA

Jorge Tadeu Mudalen (DEM) – SP

José Carlos Aleluia (DEM) – BA

Juscelino Filho (DEM) – MA

Marcelo Aguiar (DEM) – SP

Misael Varella (DEM) – MG

Missionário José Olimpio (DEM) – SP

Paulo Azi (DEM) – BA

Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM) – TO

Sóstenes Cavalcante (DEM) – RJ

Alice Portugal (PCdoB) – BA

Angela Albino (PCdoB) – SC

Chico Lopes (PCdoB) – CE

Daniel Almeida (PCdoB) – BA

Jandira Feghali (PCdoB) – RJ

Moisés Diniz (PCdoB) – AC

Orlando Silva (PCdoB) – SP

Afonso Motta (PDT) – RS

André Figueiredo (PDT) – CE

Assis do Couto (PDT) – PR

Carlos Eduardo Cadoca (PDT) – PE

Dagoberto (PDT) – MS

Félix Mendonça Júnior (PDT) – BA

Flávia Morais (PDT) – GO

Hissa Abrahão (PDT) – AM

Leônidas Cristino (PDT) – CE

Mário Heringer (PDT) – MG

Pompeo de Mattos (PDT) – RS

Ronaldo Lessa (PDT) – AL

Sergio Vidigal (PDT) – ES

Weverton Rocha (PDT) – MA

Erivelton Santana (PEN) – BA

Junior Marreca (PEN) – MA

Dr. Jorge Silva (PHS) – ES

Givaldo Carimbão (PHS) – AL

Marcelo Matos (PHS) – RJ

Alberto Filho (PMDB) – MA

Alceu Moreira (PMDB) – RS

Altineu Côrtes (PMDB) – RJ

André Amaral (PMDB) – PB

Aníbal Gomes (PMDB) – CE

Baleia Rossi (PMDB) – SP

Carlos Bezerra (PMDB) – MT

Carlos Marun (PMDB) – MS

Celso Jacob (PMDB) – RJ

Celso Pansera (PMDB) – RJ

Cícero Almeida (PMDB) – AL

Daniel Vilela (PMDB) – GO

Darcísio Perondi (PMDB) – RS

Elcione Barbalho (PMDB) – PA

Fábio Ramalho (PMDB) – MG

Fabio Reis (PMDB) – SE

Flaviano Melo (PMDB) – AC

Jarbas Vasconcelos (PMDB) – PE

Jéssica Sales (PMDB) – AC

João Arruda (PMDB) – PR

João Marcelo Souza (PMDB) – MA

Jones Martins (PMDB) – RS

José Priante (PMDB) – PA

Kaio Maniçoba (PMDB) – PE

Leonardo Quintão (PMDB) – MG

Lucio Mosquini (PMDB) – RO

Lucio Vieira Lima (PMDB) – BA

Manoel Junior (PMDB) – PB

Marcos Rotta (PMDB) – AM

Marinha Raupp (PMDB) – RO

Mauro Lopes (PMDB) – MG

Mauro Mariani (PMDB) – SC

Mauro Pereira (PMDB) – RS

Moses Rodrigues (PMDB) – CE

Newton Cardoso Jr (PMDB) – MG

Osmar Serraglio (PMDB) – PR

Pedro Paulo (PMDB) – RJ

Rodrigo Pacheco (PMDB) – MG

Rogério Peninha Mendonça (PMDB) – SC

Ronaldo Benedet (PMDB) – SC

Saraiva Felipe (PMDB) – MG

Soraya Santos (PMDB) – RJ

Valdir Colatto (PMDB) – SC

Valtenir Pereira (PMDB) – MT

Vitor Valim (PMDB) – CE

Walter Alves (PMDB) – RN

Aguinaldo Ribeiro (PP) – PB

André Abdon (PP) – AP

André Fufuca (PP) – MA

Arthur Lira (PP) – AL

Beto Rosado (PP) – RN

Beto Salame (PP) – PA

Cacá Leão (PP) – BA

Dilceu Sperafico (PP) – PR

Dimas Fabiano (PP) – MG

Eduardo da Fonte (PP) – PE

Ezequiel Fonseca (PP) – MT

Fausto Pinato (PP) – SP

Fernando Monteiro (PP) – PE

Franklin Lima (PP) – MG

Hiran Gonçalves (PP) – RR

Iracema Portella (PP) – PI

Julio Lopes (PP) – RJ

Lázaro Botelho (PP) – TO

Luis Carlos Heinze (PP) – RS

Luiz Fernando Faria (PP) – MG

Macedo (PP) – CE

Maia Filho (PP) – PI

Mário Negromonte Jr. (PP) – BA

Nelson Meurer (PP) – PR

Odelmo Leão (PP) – MG

Renato Molling (PP) – RS

Renzo Braz (PP) – MG

Roberto Balestra (PP) – GO

Roberto Britto (PP) – BA

Ronaldo Carletto (PP) – BA

Rôney Nemer (PP) – DF

Simão Sessim (PP) – RJ

Toninho Pinheiro (PP) – MG

Waldir Maranhão (PP) – MA

Arthur Oliveira Maia (PPS) – BA

Adelson Barreto (PR) – SE

Aelton Freitas (PR) – MG

Alexandre Valle (PR) – RJ

Alfredo Nascimento (PR) – AM

Cabo Sabino (PR) – CE

Capitão Augusto (PR) – SP

Clarissa Garotinho (PR) – RJ

Delegado Edson Moreira (PR) – MG

Giacobo (PR) – PR

Giovani Cherini (PR) – RS

Gorete Pereira (PR) – CE

João Carlos Bacelar (PR) – BA

Jorginho Mello (PR) – SC

José Carlos Araújo (PR) – BA

Laerte Bessa (PR) – DF

Lúcio Vale (PR) – PA

Magda Mofatto (PR) – GO

Marcelo Álvaro Antônio (PR) – MG

Marcio Alvino (PR) – SP

Miguel Lombardi (PR) – SP

Milton Monti (PR) – SP

Paulo Feijó (PR) – RJ

Paulo Freire (PR) – SP

Remídio Monai (PR) – RR

Silas Freire (PR) – PI

Tiririca (PR) – SP

Vicentinho Júnior (PR) – TO

Wellington Roberto (PR) – PB

Zenaide Maia (PR) – RN

Alan Rick (PRB) – AC

Antonio Bulhões (PRB) – SP

Beto Mansur (PRB) – SP

Carlos Gomes (PRB) – RS

César Halum (PRB) – TO

Cleber Verde (PRB) – MA

Jhonatan de Jesus (PRB) – RR

João Campos (PRB) – GO

Jony Marcos (PRB) – SE

Lindomar Garçon (PRB) – RO

Márcio Marinho (PRB) – BA

Ricardo Bentinho (PRB) – SP

Roberto Alves (PRB) – SP

Roberto Sales (PRB) – RJ

Ronaldo Martins (PRB) – CE

Rosangela Gomes (PRB) – RJ

Silas Câmara (PRB) – AM

Tia Eron (PRB) – BA

Vinicius Carvalho (PRB) – SP

Adilton Sachetti (PSB) – MT

Átila Lira (PSB) – PI

César Messias (PSB) – AC

Creuza Pereira (PSB) – PE

Danilo Cabral (PSB) – PE

Danilo Forte (PSB) – CE

Heráclito Fortes (PSB) – PI

Hugo Leal (PSB) – RJ

João Fernando Coutinho (PSB) – PE

José Reinaldo (PSB) – MA

Keiko Ota (PSB) – SP

Marinaldo Rosendo (PSB) – PE

Rafael Motta (PSB) – RN

Rodrigo Martins (PSB) – PI

Tadeu Alencar (PSB) – PE

Tereza Cristina (PSB) – MS

Arolde de Oliveira (PSC) – RJ

Gilberto Nascimento (PSC) – SP

Irmão Lazaro (PSC) – BA

Júlia Marinho (PSC) – PA

Takayama (PSC) – PR

Átila Lins (PSD) – AM

Diego Andrade (PSD) – MG

Domingos Neto (PSD) – CE

Edmar Arruda (PSD) – PR

Evandro Roman (PSD) – PR

Expedito Netto (PSD) – RO

Fábio Mitidieri (PSD) – SE

Fernando Torres (PSD) – BA

Herculano Passos (PSD) – SP

Heuler Cruvinel (PSD) – GO

Indio da Costa (PSD) – RJ

Irajá Abreu (PSD) – TO

Jefferson Campos (PSD) – SP

José Nunes (PSD) – BA

Júlio Cesar (PSD) – PI

Marcos Montes (PSD) – MG

Marcos Reategui (PSD) – AP

Paulo Magalhães (PSD) – BA

Raquel Muniz (PSD) – MG

Tampinha (PSD) – MT

Bonifácio de Andrada (PSDB) – MG

Caio Narcio (PSDB) – MG

Geraldo Resende (PSDB) – MS

Giuseppe Vecci (PSDB) – GO

Marco Tebaldi (PSDB) – SC

Nelson Marchezan Junior (PSDB) – RS

Nilson Pinto (PSDB) – PA

Raimundo Gomes de Matos (PSDB) – CE

Rodrigo de Castro (PSDB) – MG

Rogério Marinho (PSDB) – RN

Alfredo Kaefer (PSL) – PR

Dâmina Pereira (PSL) – MG

Adelmo Carneiro Leão (PT) – MG

Afonso Florence (PT) – BA

Ana Perugini (PT) – SP

Angelim (PT) – AC

Arlindo Chinaglia (PT) – SP

Assis Carvalho (PT) – PI

Benedita da Silva (PT) – RJ

Beto Faro (PT) – PA

Bohn Gass (PT) – RS

Caetano (PT) – BA

Carlos Zarattini (PT) – SP

Chico D Angelo (PT) – RJ

Enio Verri (PT) – PR

Erika Kokay (PT) – DF

Fabiano Horta (PT) – RJ

Gabriel Guimarães (PT) – MG

Givaldo Vieira (PT) – ES

Helder Salomão (PT) – ES

Henrique Fontana (PT) – RS

João Daniel (PT) – SE

Jorge Solla (PT) – BA

José Airton Cirilo (PT) – CE

José Guimarães (PT) – CE

José Mentor (PT) – SP

Leo de Brito (PT) – AC

Leonardo Monteiro (PT) – MG

Luiz Couto (PT) – PB

Luiz Sérgio (PT) – RJ

Luizianne Lins (PT) – CE

Marco Maia (PT) – RS

Marcon (PT) – RS

Margarida Salomão (PT) – MG

Maria do Rosário (PT) – RS

Moema Gramacho (PT) – BA

Nelson Pellegrino (PT) – BA

Nilto Tatto (PT) – SP

Padre João (PT) – MG

Patrus Ananias (PT) – MG

Paulão (PT) – AL

Paulo Pimenta (PT) – RS

Paulo Teixeira (PT) – SP

Pedro Uczai (PT) – SC

Pepe Vargas (PT) – RS

Reginaldo Lopes (PT) – MG

Ságuas Moraes (PT) – MT

Valmir Assunção (PT) – BA

Valmir Prascidelli (PT) – SP

Vander Loubet (PT) – MS

Vicente Candido (PT) – SP

Vicentinho (PT) – SP

Waldenor Pereira (PT) – BA

Zé Geraldo (PT) – PA

Zeca Dirceu (PT) – PR

Zeca do Pt (PT) – MS

Adalberto Cavalcanti (PTB) – PE

Arnon Bezerra (PTB) – CE

Benito Gama (PTB) – BA

Cristiane Brasil (PTB) – RJ

Deley (PTB) – RJ

Jorge Côrte Real (PTB) – PE

Jovair Arantes (PTB) – GO

Nilton Capixaba (PTB) – RO

Pedro Fernandes (PTB) – MA

Sérgio Moraes (PTB) – RS

Wilson Filho (PTB) – PB

Zeca Cavalcanti (PTB) – PE

Luis Tibé (PTdoB) – MG

Rosinha da Adefal (PTdoB) – AL

Silvio Costa (PTdoB) – PE

Ademir Camilo (PTN) – MG

Aluisio Mendes (PTN) – MA

Antônio Jácome (PTN) – RN

Bacelar (PTN) – BA

Carlos Henrique Gaguim (PTN) – TO

Dr. Sinval Malheiros (PTN) – SP

Francisco Chapadinha (PTN) – PA

Jozi Araújo (PTN) – AP

Luiz Carlos Ramos (PTN) – RJ

Ricardo Teobaldo (PTN) – PE

Uldurico Junior (PV) – BA

Augusto Coutinho (SD) – PE

Aureo (SD) – RJ

Benjamin Maranhão (SD) – PB

Genecias Noronha (SD) – CE

Laudivio Carvalho (SD) – MG

Lucas Vergilio (SD) – GO

Paulo Pereira da Silva (SD) – SP

Zé Silva (SD) – MG

 

NÃO

Abel Mesquita Jr. (DEM) – RR

Carlos Melles (DEM) – MG

Eli Corrêa Filho (DEM) – SP

Mandetta (DEM) – MS

Marcos Rogério (DEM) – RO

Onyx Lorenzoni (DEM) – RS

Pauderney Avelino (DEM) – AM

Subtenente Gonzaga (PDT) – MG

Walney Rocha (PEN) – RJ

Carlos Andrade (PHS) – RR

Diego Garcia (PHS) – PR

Marcelo Aro (PHS) – MG

Pastor Eurico (PHS) – PE

Weliton Prado (PMB) – MG

Alexandre Serfiotis (PMDB) – RJ

Celso Maldaner (PMDB) – SC

Edinho Araújo (PMDB) – SP

Edinho Bez (PMDB) – SC

Hildo Rocha (PMDB) – MA

José Fogaça (PMDB) – RS

Lelo Coimbra (PMDB) – ES

Pedro Chaves (PMDB) – GO

Sergio Zveiter (PMDB) – RJ

Afonso Hamm (PP) – RS

Conceição Sampaio (PP) – AM

Covatti Filho (PP) – RS

Jerônimo Goergen (PP) – RS

Jorge Boeira (PP) – SC

Marcelo Belinati (PP) – PR

Marcus Vicente (PP) – ES

Alex Manente (PPS) – SP

Arnaldo Jordy (PPS) – PA

Carmen Zanotto (PPS) – SC

Eliziane Gama (PPS) – MA

Marcos Abrão (PPS) – GO

Pollyana Gama (PPS) – SP

Rubens Bueno (PPS) – PR

Cajar Nardes (PR) – RS

Christiane de Souza Yared (PR) – PR

Dr. João (PR) – RJ

Luiz Nishimori (PR) – PR

Celso Russomanno (PRB) – SP

Eros Biondini (PROS) – MG

Felipe Bornier (PROS) – RJ

Ronaldo Fonseca (PROS) – DF

Toninho Wandscheer (PROS) – PR

Bebeto (PSB) – BA

Flavinho (PSB) – SP

Heitor Schuch (PSB) – RS

Janete Capiberibe (PSB) – AP

JHC (PSB) – AL

Jose Stédile (PSB) – RS

Júlio Delgado (PSB) – MG

Leopoldo Meyer (PSB) – PR

Luciano Ducci (PSB) – PR

Luiz Lauro Filho (PSB) – SP

Severino Ninho (PSB) – PE

Tenente Lúcio (PSB) – MG

Eduardo Bolsonaro (PSC) – SP

Jair Bolsonaro (PSC) – RJ

André de Paula (PSD) – PE

Antonio Brito (PSD) – BA

Danrlei de Deus Hinterholz (PSD) – RS

Delegado Éder Mauro (PSD) – PA

Fábio Faria (PSD) – RN

Goulart (PSD) – SP

Jaime Martins (PSD) – MG

Joaquim Passarinho (PSD) – PA

Reinhold Stephanes (PSD) – PR

Rogério Rosso (PSD) – DF

Rômulo Gouveia (PSD) – PB

Sandro Alex (PSD) – PR

Thiago Peixoto (PSD) – GO

Antonio Imbassahy (PSDB) – BA

Betinho Gomes (PSDB) – PE

Bruna Furlan (PSDB) – SP

Bruno Covas (PSDB) – SP

Carlos Sampaio (PSDB) – SP

Daniel Coelho (PSDB) – PE

Domingos Sávio (PSDB) – MG

Eduardo Barbosa (PSDB) – MG

Eduardo Cury (PSDB) – SP

Fábio Sousa (PSDB) – GO

Geovania de Sá (PSDB) – SC

Izalci Lucas (PSDB) – DF

João Gualberto (PSDB) – BA

João Paulo Papa (PSDB) – SP

Jutahy Junior (PSDB) – BA

Lobbe Neto (PSDB) – SP

Luiz Carlos Hauly (PSDB) – PR

Mara Gabrilli (PSDB) – SP

Marcus Pestana (PSDB) – MG

Mariana Carvalho (PSDB) – RO

Max Filho (PSDB) – ES

Miguel Haddad (PSDB) – SP

Nilson Leitão (PSDB) – MT

Otavio Leite (PSDB) – RJ

Paulo Abi-Ackel (PSDB) – MG

Pedro Cunha Lima (PSDB) – PB

Pedro Vilela (PSDB) – AL

Ricardo Tripoli (PSDB) – SP

Rocha (PSDB) – AC

Silvio Torres (PSDB) – SP

Vanderlei Macris (PSDB) – SP

Vitor Lippi (PSDB) – SP

Edmilson Rodrigues (PSOL) – PA

Glauber Braga (PSOL) – RJ

Ivan Valente (PSOL) – SP

Jean Wyllys (PSOL) – RJ

Luiza Erundina (PSOL) – SP

Andres Sanchez (PT) – SP

Alex Canziani (PTB) – PR

Arnaldo Faria de Sá (PTB) – SP

Josué Bengtson (PTB) – PA

Luiz Carlos Busato (PTB) – RS

Paes Landim (PTB) – PI

Cabo Daciolo (PTdoB) – RJ

Alexandre Baldy (PTN) – GO

Ezequiel Teixeira (PTN) – RJ

Renata Abreu (PTN) – SP

Evair Vieira de Melo (PV) – ES

Evandro Gussi (PV) – SP

Leandre (PV) – PR

Roberto de Lucena (PV) – SP

Alessandro Molon (REDE) – RJ

Aliel Machado (REDE) – PR

João Derly (REDE) – RS

Miro Teixeira (REDE) – RJ

Augusto Carvalho (SD) – DF

Carlos Manato (SD) – ES

Fernando Francischini (SD) – PR

Major Olimpio (SD) – SP

 

ABSTENÇÃO

Wolney Queiroz (PDT) – PE

Josi Nunes (PMDB) – TO

Esperidião Amin (PP) – SC

Bilac Pinto (PR) – MG

Luiz Cláudio (PR) – RO

Que Chapecoense era essa? A pergunta que todos fazem é o título de uma reportagem da Zero online. A Débora Ely dá as respostas num texto preciso sobre o fenômeno que a tragédia pode ter destruído. Vale a pena ler.

A sugestão

O Atletico Nacional da Colômbia teve o gesto grandioso em meio à tragédia ao sugerir à Conmebol, a confederação sul-americana, que o título da Copa Sul-Americana seja entregue à Chapecoense.

Agora, vem a parte mais complicada. A Conmebol não se manifestou, porque antes precisa convocar seus sábios, para saber o que perde e o que ganha com isso, se há implicações financeiras e se alguém pode reclamar mais adiante.

É possível que convoquem até a Janaína Paschoal para opinar sobre a legalidade da ideia. Não duvidem de nada.

 

 

Adeus, Marcelo Zona Sul

marcelo

Stepan Nercessian é mais um dos velhos comunistas a aderir ao golpe. Vai presidir a Funarte, a convite de Roberto Freire, novo ministro da Cultura e outro ex-comunista.
Alguém já disse que ninguém é mais reacionário do que um ex-comunista convicto de que é de fato um ex-comunista. Nercessian é deputado federal pelo PPS do Rio, não precisava desta ocupação.
Eu me lembro (quem se lembra?) de um filme de 1970 em que Nercessian era o adolescente Marcelo Zona Sul. É um belo filme sobre os anos 60, quando a geração de Nercessian, que é a minha geração, começava a transgredir e a construir utopias depois consumidas por descaminhos, embustes e golpes.
Um desses golpes tem agora o apoio de Nercessian.

A tragédia e os jornalistas

Ninguém é mais alegre e feliz no jornalismo do que um repórter de futebol. Dos 20 jornalistas mortos no avião da Chape, a metade era uma gurizada. Estava vendo agora seus retratos no site do Globo.
O futebol é o campo de entrada de muita gente na profissão e uma área ainda povoada de veteranos, apesar do desprezo de certas organizações com quem tem mais de 50 anos.
A tragédia acaba com projetos pessoais e familiares e com talentos que ajudariam a configurar mais adiante a nova imprensa do século 21. Os que morreram davam forma ao jornalismo que vem tentando ser diferente do que se faz até hoje.

O caráter da Chapecoense

Leio pouco sobre futebol, além dos comentaristas que admiro. Mas li bastante sobre o fenômeno Chapecoense nos últimos meses.
Sabemos que a tragédia se abate sobre vidas e sobre uma ideia, sobre um novo modelo de clube que vinha sendo construído no futebol brasileiro, na contramão dos cartolas corruptos e aproveitadores.
Agora há pouco li uma frase do presidente do conselho deliberativo, Plínio David De Nês Filho, em que ele diz que “dinheiro demais pode atrapalhar”, e rejeita que um clube tenha de sobreviver de ajuda oficial.
“O nosso modelo evita depender de cofres públicos. Acreditamos que a prefeitura não precisa investir no futebol, mas na educação e na saúde da população”.
Que esse caráter da Chapecoense sobreviva e inspire o surgimento da nova geração de gestores de um futebol onde ainda há dinheiro demais e gestão e honestidade de menos.

Por que os homens da Lava-Jato seriam inatacáveis?

Continuo lendo os diálogos entre o juiz Sergio Moro e os advogados da defesa de Lula, nas audiências de Curitiba, para ter alguma novidade. Mesmo os diálogos da semana passada, que merecem ser lidos e relidos.

Nessas audiências, os xerifes da Lava-Jato, no Ministério Público e no Judiciário, são cada vez mais confrontados com suas fragilidades e inseguranças. Está aí a novidade, para que não fiquemos com as mesmas notícias sobre os mesmos presos, indiciados e condenados do mesmo partido.

Fiquei impressionado com uma conversa em especial. É esta, que alguns sites e jornais transcreveram. Em algum momento, quando as testemunhas eram ouvidas, um advogado de Lula disse que as delações premiadas da Lava-Jato eram feitas “à la carte”.

O juiz Sergio Moro não gostou, e um dos procuradores presentes também não. Moro diz então que o tom era “calunioso” para o MP. O procurador entra na discussão e afirma que se sentia mesmo ofendido.

José Roberto Batochio, advogado de Lula, responde aos dois:

– Muito mais ofensiva é uma acusação que não tem a menor razão de ser, manifestamente improcedente e ilegal.

Moro quer saber então quem disse que as delações eram “à la carte”. Batochio responde que leu num site jurídico. O juiz quer saber a fonte, e o advogado responde e acaba com a conversa:

– Vamos discutir as fontes?

Agora eu pergunto: para que saber quem é a fonte de uma crítica banal à forma como o Ministério Público vem conduzindo as delações? O MP é inatacável? O que há de ofensivo ou calunioso ou injurioso numa afirmação que diz que as delações são à la carte?

Por que o juiz Moro tem de sair em defesa do MP? Quem se ofende com isso? Que reputação pode ser ameaçada por uma observação como essa?

Perguntando de outro jeito: MP e Judiciário estão tentando saber quem os critica, para que essa preocupação com a identificação das fontes seja lida como uma ameaça? O MP e o Judiciário brasileiros estão mesmo tão inseguros?

De fato, é de se perguntar: vamos discutir as fontes? Mas todas as fontes?

Fatozinho

O homem do Jaburu faz uma conferência a um grupo de empresários que não sabem o que será dos seus negócios. De repente, sem advérbios, sem mesóclises, inventa uma palavrinha assombrosa:
– É interessante que, de vez em quando, há uma certa instabilidade institucional com um fato ou outro. Como não temos instituições muito sólidas, qualquer fatozinho, me permitam a expressão, abala as instituições.
Pois é. Um golpezinho, um apartamentozinho, um Geddelzinho, um Mendoncinha. O golpe entra agora na fase do diminutivo.