Farinatas

Informações que que chegam agora de São Paulo.

Aécio Neves só será aceito de volta ao PSDB se comer 10 colheradas de farinata por dia, para ver se resiste ao tranco.

José Serra está fora do ar há meses porque teria comido uma lata de farinata escondido no banheiro do Senado.

Um senador se enganou e cheirou uma carreira de farinata, no dia da votação do caso de Aécio.

O PSDB quer produtos reciclados para comer e beber. Depois da farinata do Riquinho João Doria, está vindo aí a Caldeirada, do Luciano Huck, uma bebida que aproveita restos de sucos artificiais e naturais e já vem com o canudinho.

Teste

Pedi ao meu amigo Heitor Schmidt que me mande dois quilos de farinata de São Paulo para um teste. Vou encaminhar às melhores casa do ramo das especiarias das áreas nobres de Porto Alegre, pedindo que seja informado do que se trata: restos de alimentos quase vencidos, triturados e transformados nisso que está aí.
Se os bacanas comprarem e gostarem, como aperitivo ou complemento alimentar, eu vou comer a farinata com flocos, vou a São Paulo distribuir a farinata nas escolas e faço propaganda da farinata no programa do Luciano Huck. Porque é claro que esse pessoal que consome especiarias sabe o que é bom.
Eu só trocaria o nome, mantendo a rima, para tucanata.

O vácuo de Luciano Huck

Doria Júnior já cometeu tantas barbeiragens (essa da ração para as crianças não terá sido a última) que a direita começa a abandoná-lo. Além do que ele é ruim até de pesquisa, uma coisa que sempre favorece os tucanos. Tucano sempre vence a eleição nas pesquisas.
Sem Doria, a aposta passa a ser Luciano Huck, o sujeito que faz anúncio em que o magistério é apresentado como bico. É o mesmo sujeito que se adonou de uma praia, provocou danos ambientais em Angra e foi condenado a pagar multa de R$ 40 mil (imaginem se fosse o juiz que condenou Monica Iozzi no caso de Gilmar Mendes).
Mas eu também acho que Huck não suporta duas semanas de campanha. Huck é, pelo talento de ver negócio em tudo, na filantropia patrocinada e no tal de altruísmo televisivo, o cara capaz de não só fazer a ração para crianças pobres, mas de sortear a ração nas escolas com transmissões ao vivo pela Globo. Seria a merenda de ração fervendo no caldeirão do Huck.
Em artigo na Folha, ele diz que deseja participar da renovação da política, para aproveitar melhor, com aquele seu sorriso autêntico, esse “assustador vácuo de liderança”.
Os jornalistas fofos amigos do moço, que adoram vácuos, já estão sendo mobilizados. Então, preparem-se. Luciano Huck é o cara que vem aí no vácuo e pelo vácuo será engolido.

Os restos do Riquinho

Ninguém se surpreende com a decisão do prefeito Riquinho Doria Júnior de fazer merenda com biscoitos de ração moída (de comida quase vencida ou fora de padrão) para as crianças de escolas de São Paulo.
O grande projeto do golpe, depois de anestesiar o povo, é alimentar seus filhos com os restos que os outros não querem mais. Se dependesse dessa gente, o povo estaria condenado a viver das migalhas da direita.
O mais lamentável, no contexto da degradação das instituições, é que o arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, tenha apoiado a ideia. Dom Odilo poderia conversar mais com o papa e reler o Evangelho de Mateus, tão citado por Francisco.
Dom Odilo sabe bem que não se deve dar aos pobres aquilo que não se come.
(E o Riquinho poderia, já que pretende ser bíblico ‘salvando’ os pobres, ver em Mateus o exato sentido de pobreza. A direita golpista é, na essência, o que existe de mais pobre no Brasil hoje. O diabo já foi informado.)

A suprema desmoralização

O que ficou provado na sessão de ontem do Senado? Que a Justiça só alcança a esquerda, de preferência o PT. E que a direita é favorecida pelas vacilações e pela seletividade da Justiça, desde a primeira instância até a mais alta Corte do país.

Quando é para pegar um capo da direita, o Supremo inventa uma gambiarra, como inventou para Aécio Neves na mais constrangedora sessão do STF em todos os tempos. Ah, mas pegaram Cunha e Geddel. Pegam galinhas mortas, porque não há como não pegar.

Ontem, os senadores se esbaldaram desqualificando o Supremo. E a farra aconteceu porque a direita se adonou da política e da Justiça. As gangues das malas são donas do Brasil.

Pelo menos 19 investigados ou processados por corrupção atacaram o Supremo ontem, cada um a seu modo. O Supremo recebeu o troco que merece. Por ter permitido que Eduardo Cunha levasse até o fim a trama contra Dilma, por ter comandado a sessão do Senado do golpe de 31 de agosto do ano passado e por ter protagonizado a manobra que acabou por salvar Aécio.

O Supremo é a instituição mais desmoralizada de todas as instituições envolvidas ou omissas diante do golpe e seus desdobramentos. O Supremo avaliza a impunidade da direita e a articulação do novo golpe que vem aí.

Rimas

Aécio Neves é espirituoso e jocoso, segundo Sergio Moro. E ficar ao seu lado em uma foto, rosto no rosto, não significa nada. É uma casualidade do destino.
Foi o que o juiz disse ontem em entrevista à GloboNews, cujo resumo estou lendo agora.
Desde ontem, Aécio deve ter ficado mais espirituoso e jocoso aos olhos de juiz tão amoroso.
Em busca de uma rima, outro juiz poderia dizer que Aécio é, sim, um mafioso.