A Seleção sem força

Uma sensação muito ruim de que a Seleção parece refletir a situação do país. Na adversidade, o time esmorece, como o povo esmoreceu depois do golpe.
É algo que vem desde a Copa de 2010, quando os jogadores parecem ter perdido, naquele jogo com a Holanda, quase tudo que a Seleção acumulou de vitalidade e dedicação à luta a partir de 1958.
Foi em 2010, com aquele time de pernas frouxas, que tudo começou, até o desfecho dos 7 a 1 em 2014. Foi em 2014 que o mundo viu pela primeira vez o capitão de uma equipe chorar num canto, afastado dos liderados.
Para completar, a direita se apropriou da camiseta da Seleção e da bandeira. A direita verde-amarela do golpe e do ódio fundamentalista pode ter amaldiçoado o futebol brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


9 + 9 =