AS CIDADES DESCONHECIDAS

Sempre vejo Porto Alegre como uma cidade dividida ao meio. A cidade do sul e do oeste pouco se encontra com a cidade do norte e do leste.
Sempre haverá alguém dizendo: se fores ao cinema, ao Theatro São Pedro, ao Araújo Vianna, vais encontrar os mesmos rostos conhecidos desse lado de cá de onde moras. Os rostos desconhecidos são os da zona norte ou do entorno da Grande Porto Alegre.
Não é exagero. Há mais de 10 anos, convidei o professor, poeta e tradutor Donaldo Schüler a andar pela zona sul. Donaldo é morador da zona norte e não conhecia quase nada da Aberta dos Morros, de Belém Novo, da Restinga, do Lami.
E levei o escritor Sergio Faraco, morador da zona sul, a passear pela zona norte. O estranhamento era o mesmo. Faraco nunca havia andado pelas ruas do Jardim Lindoia, do Sarandi, do Rubem Berta. Publiquei as impressões deles em Zero Hora.
É a minha sugestão no dia do aniversário dessa cidade tão maltratada. Quem mora do lado de cá, do Viaduto Obirici para o centro e para os lados do Guaíba, que faça um dia, num fim de semana, uma aventura para o norte.
E que os moradores do norte se arrisquem a ir além de Ipanema e andem pelo sul profundo a partir da Aberta dos Morros que quase ninguém do norte sabe onde fica.
(A foto do Guaíba visto do cais é do meu amigo André Feltes)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


6 + 4 =