BOLSONARO PERDEU TODAS

Depois da falar mal dos nordestinos, agora Bolsonaro ataca os argentinos. Mas será que ele teria coragem de ir a Buenos Aires falar dos que definiu como esquerdalha do peronismo, atacados em seu discurso em Pelotas?
Bolsonaro teria o peito de defender torturadores num discurso de apoio a Macri diante da Casa Rosada? E atacar os negros? E dizer que só estupra mulheres bonitas?
Bolsonaro não iria. Ele enterrou todos os que tentaram pegar carona no seu discurso fascista. Sartori, no Rio Grande do Sul, chegou a virar Sartonaro.
Perdeu a eleição para outro bolsonarista de Pelotas, mas um bolsonarista mais dissimulado, mais rococó. Os gaúchos só aceitaram a versão do bolsonarista tucano porque era um direitoso fofo e rendado.
Depois, Bolsonaro encostou o filho no golpista Juan Guaidó, para que o moço se apresentasse como novo líder da direita latino-americana. Assim, agradaria Trump.
Eduardo chegou a ir à fronteira da Venezuela, em abril, na véspera do que seria o golpe. Queria tirar lasca da festa. Mas o golpe fracassou. Guaidó foi um ingênuo que chegou a acreditar na possibilidade de Bolsonaro mobilizar teco-tecos para a invasão de Caracas. Mas Bolsonaro o abandonou e ninguém mais fala em Guaidó.
E agora Macri. O argentino cometeu o erro de cortejar Bolsonaro e deixar que o ogro o cortejasse. Não há como um governo que quebrou a Argentina ser reabilitado com o apoio e o discurso de Bolsonaro.
No desespero, Macri tentou levar a inspiração bolsonarista para a Argentina e se deu mal. Levou uma goleada das esquerdas.
Os argentinos passam fome, mas querem emprego e comida. Aqui, os que perdem o emprego e passam fome pedem uma arma. É diferente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


1 + 3 =