Os fãs de Bolsonaro saudaram seu retorno ao trabalho e sua simplicidade ao aparecer para fotos usando abrigo e chinelos Rider.
Que Bolsonaro descubra logo seu espaço no Planalto, fazendo todo o esforço para ele mesmo e seus garotos não atrapalhem o governo de Hamilton Mourão.

Bebbiano, grande chefe do PSL, coordenador de campanha de Bolsonaro e líder dos laranjas da extrema direita, avisa que vai cair atirando.
(Está cada vez mais evidente que Bebbiano ficava com todo o suco do laranjal em Pernambuco. Foi flagrado pela parceria e por isso será degolado. O outro chefe de laranjas, Álvaro Antonio, de Minas, está numa boa porque dividia a safra.)

A POSE DO COWBOY

O indivíduo que disse não saber quem é Chico Mendes se prestou a ir a uma tribo dos Parecis, no Mato Grosso, só para tirar uma foto fantasiado de índio.
Um jagunço ficaria melhor no retrato. Queria ver o sujeito ir ao Acre pra fazer fotinho com os amigos de Chico Mendes.
(Foi isso o que ele publicou no Twitter: “Estivemos hoje na Festa da Colheita dos índios Parecis, que plantam e produzem com muita competência, demonstrando que podem se integrar ao agro sem perder suas origens e tradições”.)
Integrar-se ao agro…

O HOMEM QUE VIROU SUCO

O que o ministro do Turismo tem que o ministro da Secretaria-Geral do Governo não tem? Marcelo Álvaro Antonio, o do Turismo, foi denunciado pela Folha como coordenador de um esquema que usava mulheres de Minas Gerais como candidatas laranjas, para pegar o fundo partidário, que é um dinheiro público. A suspeita é de que ele ficava com a dinheirama e depois dividia entre os parceiros.
O que Bolsonaro fez com Antonio? Nada. Antonio chegou a ser exonerado, para que assumisse formalmente uma cadeira de deputado federal pelo PSL.
Muitos pensaram que o homem havia caído por decreto assinado pelo ministro Sergio Moro, mas no dia seguinte o mesmo Moro assinou o decreto de readmissão.
Já o ex-presidente do PSL Gustavo Bebbiano, envolvido na coordenação da campanha de Bolsonaro e agora ministro da Secretaria-Geral, também usou mulheres laranjas e está sendo fritado pelo pai e pelos filhos Bolsonaros.
Bolsonaro mandou os garotos baterem com força em Bebbiano, até que ele pedisse a renúncia. Ainda não pediu, mas não vai aguentar.
Os Bolsonaros protegem o laranjal de Antonio e esculhambam com o laranjal de Bebbiano, com quem o pai se nega a conversar.
O jornalismo terá de esclarecer. Antonio tem algum poder que Bebbiano não tem, mesmo que o ministério do primeiro não seja quase nada perto do poderoso ministério do segundo?
Por que os Bolsonaros jogaram Bebbiano aos leões e protegem Antonio? Parece que Bebbiano bailou porque escondeu a grana das laranjas e enganou outros líderes do partido e os Bolsonaros.
Concluindo: desentenderam-se na hora de dividir as laranjas.

OUTRO ENGAVETADOR

Mais uma do Ministério Público sob suspeita. A Folha informa que Sidney Madruga, procurador regional eleitoral do Rio, mandou para uma gaveta a investigação sobre o estranho patrimônio imobiliário Flavio Bolsonaro.
A suspeita é óbvia: Flavio formou um patrimônio milionário em desacordo com sua renda, o que deixa fortes indícios de lavagem de dinheiro.
Quando o caso já estava na gaveta, a Segunda Câmara Criminal de Revisão do Ministério Público Federal reagiu e mandou que o inquérito fosse reaberto.
E por que Madruga estava tentando engavetar a investigação? Os procuradores colegas dele devem saber.