Curitiba é logo ali

A pergunta do domingo, que me persegue desde ontem: se o juiz Sergio Moro tem o hábito de fazer vídeos caseiros para se dirigir ao seu povo, por que resiste em aparecer nas filmagens do dia 10, quando do depoimento de Lula?

A melhor parte do seu vídeo divulgado ontem (sobre a audiência com Lula) está neste trecho: “É um ato normal do processo, nada de diferente acontecerá nessa data”.

Se nada de diferente vai acontecer, por que gravar o vídeo e contribuir para a expectativa de que algo de diferente vai mesmo ocorrer?

Um depoimento de Lula, caçado pela Lava-Jato há dois anos, nunca seria um ato normal.

Moro foi esperto como mensageiro de um alerta: se algo der errado, eu avisei. O juiz também parece querer avisar que não vai mandar prender Lula.

A impressão passada pelo vídeo é de que Moro está bem tensionado.

Minha conclusão, depois de tomar 12 mates ouvindo o alvoroço dos bem-te-vis da Aberta dos Morros: ninguém, nem a turma dele, vai dar bola para o conselho do juiz.

Todos os caminhos levam a Curitiba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


3 + 9 =