Ex-professor

Tenho certeza de que esse professor da USP que divulgou o número do telefone do desembargador Rogério Favreto não daria mais nem aulas sobre como fazer legendas, se fosse docente de qualquer faculdade de Comunicação do Rio Grande do Sul.
O desqualificado, que induziu os fascistas a fazerem ameaças (que se confirmaram) a um magistrado, não pode ser professor. Não se trata de censura ou de restrição à liberdade de expressão.
Fomentar um delito não é exercer o direito de opinião. O que o sujeito não respeita é exatamente a opinião alheia.
Tenho certeza de que em qualquer escola de comunicação do Estado esse pilantra golpista nunca mais pisaria numa sala de aula.
Porque não teria mais a confiança e o respeito dos alunos. Mas na USP, pelo que se viu com Janaína Paschoal, tudo pode acontecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


2 + 8 =