Ideias medianas

O artigo do procurador Deltan Dallagnol hoje na Folha (em que parece se desculpar por não ter pego nenhum corrupto do PSDB) só reafirma o que já se sabe dele e do juiz Sergio Moro.
A capacidade de reflexão de ambos fica aquém da missão que assumiram. Falta um mínimo de brilho no pensamento opaco do procurador e do juiz da Lava-Jato. A retórica colegial não acompanha a performance pretendida.
Dallagnol e Moro são medianos, o que facilita a aceitação como ídolos da direita. Mas, se as suas ideais fossem um pouco mais complexas, se não repetissem à exaustão clichês de frases de filme de mocinho e bandido, talvez não estivessem ao alcance dos seus adoradores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


6 + 6 =