O JORNALISMO NO PENHASCO DO OSTRACISMO

Otavio Frias Filho, diretor da Folha de S. Paulo, publica hoje um artigo contra Lula. É a melhor prova (e não uma simples convicção) da diferença entre a imprensa brasileira e a imprensa americana mostrada no filme The Post, A Guerra Secreta.
A imprensa liberal americana tem como vocação confrontar o poder, porque só assim sobrevive como imprensa e não só como negócio, como mostra o filme (e acho que eles ainda vão derrubar Trump).
Aqui, a imprensa do golpe quer usufruir do poder dos amigos. O jornalismo brasileiro não produziu uma reportagem, uma só, com informações que acrescentassem alguma coisa às delações, aos vazamentos bem escolhidos e aos grampos de Sergio Moro. Nada.
O artigo é cheio de volteios para dizer o seguinte: viva a eleição sem Lula.
Entre o Judiciário seletivo que poupa corruptos a direita e a imprensa do golpe, não me arrisco a dizer qual é o mais calhorda.
Para plagiar o título do diretor da Folha: é a imprensa brasileira, sob pressão das redes sociais, sendo empurrada para o penhasco do ostracismo. De mãos dadas com o Judiciário.

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/otavio-frias-filho/2018/01/1953538-lula-no-ostracismo.shtml

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


4 + 9 =