O massacre ao diferente continua

Presente do bolsonarismo, no Dia Internacional das Pessoas com Deficiência. O governo encaminhou ao Congresso um projeto de lei que acaba com a política de cotas para pessoas com deficiência nas empresas.
Ninguém precisará ter empregados com deficiências. Ficará tudo liberado.
A diferença para a eugenia do nazismo é que o nazismo não precisava de projeto de lei.
Políticas de afirmação criam oportunidades para os beneficiados diretos, como no caso das pessoas com deficiência, e têm consequências decisivas para todos.
É pela convivência com pessoas diferentes que uma sociedade se afirma como civilização, nas comunidades, nas escolas, nas empresas.
Eu conheço (e conheço bem) bolsonaristas que têm familiares com deficiência. Mas os bolsonaristas são os familiares, não é a pessoa atingida pelo projeto do bolsonarismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


3 + 1 =