O MINISTRO, O POLÍCIA E O QUADRILHEIRO

Assim caminha a democracia à brasileira. Encurralado pelo caso dos laranjas de Minas que abasteceram sua campanha, Bolsonaro chamou hoje o ministro da Justiça ao Planalto para tratar do assunto.
Mandou que Moro levasse junto o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, que é subordinado ao ex-juiz e é quem investiga o laranjal.
Depois de conversar com os dois bem mandados, Bolsonaro clamou Álvaro Antonio, o ministro que chefiou os laranjas e já foi denunciado pelo Ministério Público como comandante da quadrilha mineira.
Num curto espaço de tempo, Bolsonaro reuniu-se com um indiciado, um policial chefe da corporação que o indiciou e o chefe geral da mesma polícia.
Só faltou o Queiroz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


6 + 2 =