O CHEFE FROUXO QUE ERA CHEFIADO POR MORO

Noticiam que Deltan Dallagnol anda irritado com as críticas feitas por juristas que o acusam de articular a estratégia da acusação na Lava-Jato com a participação de Sergio Moro.
São críticas graves, de gente de fora dos órgãos públicos. Mas Dallagnol tem outras ressalvas originadas dentro do Ministério Público.
E essas focam numa questão considerada constrangedora por servidores colegas de Dallagnol.
Para procuradores não alinhados com o vale tudo de Curitiba, Dallagnol não só agiu em conluio com Moro, como se submeteu às ordens do juiz. É o que está claro nas mensagens vazadas.
Dallagnol não deve imaginar que seja uma unanimidade. Ele sabe que, ao ser obediente ao juiz, a força-tarefa rebaixou o Ministério Público.
É a sua herança como chefe frouxo da turma que deveria comandar, mas que na verdade Moro comandava.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


8 + 3 =