OS MIGRANTES E A FARSA DAS LIBERDADES

Prestem atenção nessa história escabrosa. O governo criou uma lista negra de jornalistas que acompanham caravanas de migrantes. Tudo sob controle de um grupo de arapongas da chamada Unidade de Cooperação Internacional.
O objetivo é cuidar os passos não só dos migrantes miseráveis, mas dos jornalistas que cobrem suas lutas e suas caminhadas.
Descobriu-se que 10 jornalistas têm dossiês elaborados pelos arapongas com detalhes de tudo o que fazem.
Os dossiês têm fotos, datas de nascimento, descrições do trabalho realizado pelos monitorados e informações sobre detenções e interrogações anteriores.
São migrantes e jornalistas monitorados e fichados. Está contado em reportagem da Folha, com dados obtidos pela rede de TV NBC.
Onde acontece isso? Na Venezuela de Maduro, patrulhada pelas ‘liberdades’ dos Estados Unidos de Trump?
Não. Nos Estados Unidos do fascismo de Trump, que controla a vida de migrantes da América Central e de jornalistas que tentam entrar no México e nos Estados Unidos.
Controlam a vida de quem toma a estrada para tentar fugir da miséria e de quem acompanha esses miseráveis como jornalista para contar suas jornadas de sofrimento e frustração.
Essa é a democracia que pretende continuar patrulhando o mundo e declarar guerra à Venezuela com a ajuda de Bolsonaro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


2 + 7 =