O HUMORISTA DOS GOLPISTAS

Estou entre os que defendem a liberdade de expressão no seu limite, principalmente quando o debate é político e de posicionamento de ideais, por mais fortes que sejam.
Essa liberdade também deve ser respeitada no humor, ou os déspotas nunca aceitariam os retratos que os humoristas fazem deles.
Mas Danilo Gentili não defende ideias e faz um humor agressivo e criminoso contra as mulheres. É reaça em todos os sentidos, porque tudo o que ele faz é para favorecer os poderosos e os perseguidores das esquerdas.
Gentili agride as mulheres, como Bolsonaro faz, para estar sempre do lado dos machos e dos fascistas. Por isso comemoro sua condenação pelas ofensas à deputada Maria do Rosário.
Não vou repetir aqui o que ele disse. Gentili é da extrema direita do humor brasileiro, um humor que foi tomado pelos reacionários nos últimos anos e só agora está reagindo. Ele é o humorista dos golpistas e dos bolsonaristas.
Foi condenado pela juíza federal Maria Isabel do Prado a seis meses de prisão e pode recorrer. Não por ser reaça (se fosse assim, meio Brasil estaria preso), mas por ter feito ofensas que configuram delito. É pouco, mas é um começo.
Ainda falta o desfecho do processo de Maria do Rosário contra Bolsonaro, por ofensas pessoais e incitação ao estupro, que está parado numa gaveta do Supremo porque agora o homem não pode ser processado por fatos anteriores ao mandato.
Poderá depois?

A JUSTIÇA É PARA TODOS

Finalmente o ex-deputado Carli Filho foi condenado por duplo homicídio no trânsito.
O sujeito dirigia bêbado e em alta velocidade quando cometeu os crimes em Curitiba, em 2009.
A condenação de Carli por ter matado duas pessoas: nove anos e quatro meses de prisão. A condenação de Lula, julgado em tempo recorde, por ser ‘dono’ de um tríplex que nunca provaram que é seu: 12 anos e um mês de prisão.
O que acontecerá com Lula? Pode ser preso a qualquer momento.
E o que se passará com o ex-deputado da direita cheirosa paranaense, de família tradicional, autor com provas de duas mortes por dirigir bêbado e a 170 km por hora, julgado somente NOVE anos depois dos crimes?
Ficará solto até julgarem o recurso. Quando? Quando o homem for a Marte.

ESTAMOS CONDENADOS

Os jornais estão lotados de interpretações sobre a decisão do Tribunal Regional Federal de reafirmar a condenação de Lula. A conclusão geral, depois da leitura de tentativas de entendimento, é uma só: o Brasil sucumbiu ao poder de um Judiciário confuso e enredado em sua fleuma e em suas fragilidades e contradições.
O Judiciário que condenou Lula por unanimidade é o mesmo que mantém, também por goleada, e sob os mais variados argumentos, a impunidade de tucanos e cúmplices de quadrilhões, alguns protegidos por imunidades diversas.
Mudam os redutos, mas a estrutura de Justiça é uma só. O resumo é desolador. Somos figurantes de uma versão trágica da Escolinha do Professor Raimundo, com citações e argumentações pedantes, muitas vezes confusas, tantas vezes vazias.
Sabe-se todos os dias (como está na Folha hoje) que os magistrados brasileiros citam em latim teorias que não dominam. Não dominam nem o latim, nem as teorias.
Nossa vida está nas mãos deles, dos Rolandos Leros de toga. Estamos sendo enrolados pelo poder incontrolável do Judiciário, com a imprensa e com tudo. Por enquanto, estamos todos condenados.