O PAPA E O SONEGADOR

Luciano Hang, o véio da Havan, atacou o papa porque Francisco enviou uma carta a Lula.
Deve ser por ciúme. O véio só recebeu cartas importantes enviadas pelo Ministério Público para que pagasse pelo menos R$ 10 milhões por sonegação.
Sonegou, o governo não foi pra cima do véio e o delito prescreveu, como sempre prescreve quando o envolvido é da direita, o que não quer dizer que não sonegou (ó exemplo clássico é o dos tucanos, que escapam sempre por causa da prescrição).
Hang já tentou retirar da internet uma reportagem do jornalista Flávio Ilha, publicada pelo Extra Classe, que o denuncia como sonegador (Havan: expansão com dinheiro público e sonegação, de 6 de fevereiro de 2018).
A Justiça refugou o pedido de censura do bolsonarista e também uma tentativa de reparação por dano moral.
O Extra Classe reafirmou: Luciano Hang recebeu empréstimos do BNDES e já foi denunciado pelo MP por sonegação e outras fraudes. O estranho é que as ações contra o sujeito gostam das gavetas do Judiciário.
Francisco deve estar muito preocupado com o véio sonegador da Havan, que enfrenta outras broncas com o Ministério Público. Em um dos processos ele é acusado de coagir funcionários a votarem em Bolsonaro.

(Abaixo, o link da reportagem sobre a tentativa do dono da Havan de censurar e tirar dinheiro do Extra Classe. E mais abaixo o link para a reportagem que ele tentou tirar da internet.)

https://www.extraclasse.org.br/justica/2019/05/justica-nega-apelacao-de-dono-da-havan-contra-o-extra-classe/

https://www.extraclasse.org.br/economia/2018/02/havan-expandiu-atividades-com-dinheiro-publico/

A tentação chamada Mourão

Meu texto quinzenal no jornal Extra Classe. E se Mourão assumir o controle do governo, enquanto Bolsonaro se diverte com o Twitter?

(No link embaixo da foto)

Os ancestrais bandidos do fascista antilulista

Muitos racistas que atacam Lula para atacar negros e pobres descendem de presidiários que chegaram aqui como os primeiros colonos. E a maioria dos fascistas herdou o sangue de gente que a Europa refugou como os miseráveis do capitalismo.

É o tema do meu novo artigo no jornal Extra Classe online:

http://www.extraclasse.org.br/exclusivoweb/2018/03/os-ancestrais-bandidos-do-fascista-antilulista/

 

A nova polícia política

Além dos políticos de esquerda, também as pessoas comuns, sem cargos e sem poder, têm hoje tanto medo das decisões de certos juízes, de todas as instâncias, quanto os perseguidos pelos militares e seus familiares tinham da polícia política nos anos 70.

É disso que trato no meu novo texto no jornal Extra Classe online:

http://www.extraclasse.org.br/exclusivoweb/2018/01/o-judiciario-e-a-policia-politica-dos-tempos-da-ditadura/

 

Extra Classe

Quando saí de Zero Hora, em abril de 2015, recebi cantadas variadas (não foram assédios), até para ser trapezista, mas o único veículo que me convidou para continuar sendo jornalista foi este. Com muito orgulho, sou colunista do Extra Classe online, do Sindicato dos Professores do Ensino Privado (Sinpro).
Estou na companhia de um timaço. Alguns acham que o que faço aqui é militância de esquerda, mas até essa ‘acusação’, vindo de quem vem, me honra muito. Eu ficarei ofendido se um dia for confundido com algum jornalista ‘neutro’ ou com algum desses jornalistas fofos de direita.

Uma equipe de repórteres e colunistas focados nos principais temas da política, economia, comportamento, cidadania, educação, cultura, comunicação e muito mais, com olhar crítico e compromisso com a informação precisa e relevante. Informe-se. Acesse www.extraclasse.org.br

Posted by Jornal Extra Classe on Tuesday, 9 January 2018

 

O Brasil no auditório

Se a Justiça da Lava-Jato afastar Lula da eleição, Luciano Huck irá se apresentar como herdeiro de seus votos. Parece absurdo, mas é o que as pesquisas indicam. O altruísmo patrocinado da Globo pode chegar ao poder e distribuir casas, geladeiras, carros e felicidade para todos.

Este é o tema do meu novo texto no jornal Extra Classe, no link abaixo:

https://www.facebook.com/jornalextraclasse/

 

 

Tia Eulália

A manifestação do dia 24 de janeiro contra o Judiciário seletivo, em Porto Alegre, é a chance de resgatar para a democracia parte da classe média que ergueu bandeiras, sofreu uma recaída, aderiu ao golpe, desiludiu-se e espera apenas um bom pretexto para voltar a fazer política do lado certo.

Este é o meu novo texto no Extra Classe:

http://www.extraclasse.org.br/exclusivoweb/2017/12/tia-eulalia-e-a-personagem-do-ano/