Comadres

Marcelo Coelho, um dos principais articulistas da Folha, integrante do conselho editorial do jornal, entra com força na briga com a Globo.
O jornalista diz em artigo publicado hoje que a Globo foi irresponsável ao divulgar, antes da gravação, que o jaburu-rei havia dito a Joesley que continuasse dando mesadas a Cunha.
Para Marcelo Coelho, isso não está provado na conversa.
O texto do colunista desqualifica tudo na Globo, inclusive a linha editorial e os debates da GloboNews em que todos os debatedores são tucanos e, segundo ele, chutam pênaltis sem goleiro. Não há como não concordar.
E levanta a grande dúvida: por que os Marinho querem derrubar o jaburu?
Ele só não diz por que a Folha está cheia de amores pelo jaburu.

A fantástica história do Joesley

O mafioso Joesley disse em delação que pagou R$ 5 milhões a Cunha e pagaria US$ 150 milhões a Lula e Dilma. É a manchete dos jornais agora.
Contou que deu uma mixaria em reais para Cunha e abriu uma caderneta em dólares (CENTO E CINQUENTA MILHÕES DE DÓLARES) para Lula e Dilma.
Joesley, uma pessoa séria, que vinha bem, com gravações, com provas, é um mafioso que pode perder a reputação.
Joesley aderiu à turma que defende convicções. CENTO E CINQUENTA MILHÕES DE DÓLARES nem o tucano Pedro Barusco conseguiu juntar. O exagero parece proposital, para que ele mesmo desqualifique a própria informação.
É um deboche com o Ministério Público, uma zombaria, uma troça, um chiste. Joesley quer ser engraçado.
Se o Joesley não tiver provas, que procure a assessoria da turma de Curitiba e só volte se tiver uma apresentação com powerpoint.