A EXTREMA DIREITA COME A DIREITA

A direita uruguaia tem o modelo brasileiro à disposição para montar seu projeto de governo. Mas o blanco Lacalle Pou, se confirmado como vencedor (o que parece irreversível), terá de compartilhar o poder com o partido de extrema direita Cabildo Abierto, liderado pelo general Guido Manini Ríos (à esquerda na foto).
Pois vejam quais são os dois ministérios que ele terá de ceder ao pessoal do general, segundo o jornal El País: Saúde Pública e Ordenamento Territorial e Meio Ambiente.
A extrema direita uruguaia cuidará do SUS deles e das complexas questões referentes à ocupação do solo, ambiente, rios, florestas. É tudo o que eles querem. Precarizar e privatizar a saúde e entregar os espaços urbanos e rurais à especulação urbana e rural descontrolada, como acontece aqui.
A questão é saber como os militares liderados pelo general reaça irão se comportar no poder, depois de 15 anos de Frente Ampla. O fraco Lacalle Pou depende dos votos deles no Congresso para governar. É provável que a extrema direita assuma, sem sutilezas, o controle do Uruguai.
O fascismo avança por toda parte. Também na Bolívia a extrema direita se prepara para comer a direita. Luis Fernando Camacho, El Macho (à direita), líder do golpe, chefe do tal movimento cívico, anunciou hoje que será candidato a presidente.
O ex-presidente Carlos Mesa, da direita moderada, derrotado por Evo Morales nas eleições, terá de dividir espaço com o extremista.
Com dois candidatos fortes, a direita pode ir dividida para a eleição que deve acontecer logo, se El Macho não cumprir o que vem ameaçando: tirar Mesa do caminho e se transformar, como candidato único do reacionarismo, no Bolsonaro boliviano.