OS FLAMENGUISTAS E A FELICIDADE

Quem não gosta de futebol (ou não entende ou percebe seu alcance como expressão de pertencimento) pode estar vendo a euforia dos flamenguistas como um exagero.
Até quem gosta e entende a força simbólica do futebol também vê um certo excesso nas comemorações.
Quem mora num Estado dominado por milicianos amigos dos Bolsonaros, governado por um sujeito de extrema direita, onde só pobres e negros morrem por ‘balas perdidas’, onde os políticos são mais perigosos do que os traficantes, onde o prefeito odeia Carnaval, só quem mora no Rio maltratado pelos fascistas e dominado pelo poder dos neopentecostais sabe o que essa alegria significa.
Os moradores do Rio podem viver plenamente essa felicidade demasiada sem dar explicações aos que acham que tudo precisa ser explicado.
Um dia essa alegria que hoje enfrentou a repressão da polícia nas ruas terá aqui a energia e a força política que tem no Chile, na Bolívia, na Colômbia, no Equador, na Argentina.

GABIGOL NOS CONFUNDE

GABIGOL NOS CONFUNDE
A cena em que Witzel é esnobado por GabiGol, ao se ajoelhar diante do atacante (e simular que vai engraxar sua chuteira, como fazem os jogadores) significa o quê?
1) Que ele não quer aproximação com um sujeito da extrema direita.
2) Que o craque o esnobou porque Witzel é ex-bolsonarista e crítico de Bolsonaro.
3) Que GabiGol é um militante de esquerda ainda no armário.
4) Que ele nem sabe quem é Witzel.
5) Que o jogador é apenas e tão somente um marrento.
(O vídeo está na área de comentários)

IMITADORES DE MANIFESTANTES

O que diferencia o Brasil dos países latino-americanos hoje? Esta notícia de ontem talvez ajude a entender algumas diferenças.

“Depois de ficar quase nove horas parados em Pozo Almonte, região de Tarapacá, no norte do Chile, o ônibus que está levando torcedores do Flamengo para a final da Libertadores em Lima, no Peru, foi liberado para seguir viagem. Mas antes os torcedores cantaram e dançaram com os manifestantes.
O protesto é contra uma usina de minério, perto da estrada, e os manifestantes têm a intenção de bloquear a chegada dos caminhões ao local.
Nas manifestações que ocorrem no país há mais de um mês, o bloqueio de ruas e estradas tem sido constante. Alguns torcedores até posaram para fotos depois da liberação”.

Resumindo: manifestante é manifestante e torcedor é torcedor.
Os torcedores do Flamengo viveram pelo menos a experiência de brincar de manifestante.
É dureza, mas até agora é o que nos cabe nesse latifúndio de revoltas na vizinhança: imitar participantes de protestos para poder ver um jogo de futebol.
.