Cunha, Nassif e o traficante

Eduardo Cunha, o mafioso que a direita abandonou depois do serviço feito e de entregar o recibo, processou o jornalista Luis Nassif por dano moral. E ganhou.
É decisão da 14ª câmara cível do Tribunal de Justiça do Rio. O relator do processo, desembargador Cleber Ghelfenstein, diz que Nassif deve ser condenado por matéria em que “macula a dignidade do autor e associa seu nome a criminosos e à esquema de sonegação de impostos”.
O desembargador aceitou o argumento de que Nassif associou o nome de Cunha a um traficante chamado Abadia. É de chorar de rir.
Só falta agora o tal Abadia processar o mesmo Nassif por ter associado seu nome ao de Cunha, que parece mesmo ser uma ofensa mais grave. O Brasil é o país que decidiu virar um foro.

Mais um processo

O jornalista Luís Nassif informa em seu site (jornalggn.com.br) que irá enfrentar o quarto processo de Gilmar Mendes.

Nassif diz: “Quem segura Gilmar? Para não enfrentá-lo, seus colegas do Supremo e do TSE preferem tratá-lo como uma curiosidade, uma pessoa desequilibrada que fica aspergindo ofensas a torto e a direito. Tratam seu comportamento como se fosse uma inconveniência a ser ignorada, e não como um comprometimento grave à imagem do Supremo”.

Um dia, sabe-se lá quando, teremos a exata dimensão dos estragos que Gilmar Mendes e Sergio Moro, entre outros, fizeram na imagem do Judiciário.