Padilha no Extra

Flávio Ilha e Maria Lucia Sampaio me alertaram e eu corrijo aqui. Quando disse que a imprensa gaúcha não trata do processo do Eliseu Padilha envolvendo uma suspeita consultoria para a Ulbra, cometi o erro de ignorar uma reportagem de junho do ano passado da grande repórter Naira Hofmeister no Extra Classe.
Mas mantenho o que minha nota no blog teve como intenção: a dita imprensa ‘independente’ gaúcha não dá muita bola para assuntos bem complicados como este. Nem vai dar.
Meu erro foi não conhecer a reportagem da Naira. Peço desculpas e compartilho o link:
http://www.extraclasse.org.br/exclusivoweb/2016/07/caso-ulbra-becker-e-padilha-dao-versoes-diferentes-para-consultoria/

Padilha e a Ulbra

Saiu na Folha uma reportagem completa sobre um assunto que a imprensa gaúcha não aborda. É o processo na Justiça Federal em que o ministro Eliseu Padilha é réu por ter recebido R$ 7 milhões (em valores de hoje) da Ulbra no fim dos anos 90.
Duas empresas de consultoria de Padilha, a Rubi e a Fonte, receberam a dinheirama sem que os serviços fossem prestados. Mas por que então Padilha recebeu tanto dinheiro?
A reportagem mostra do que o ministro (na época, era deputado) é acusado. É coisa grossa e envolve improbidade, tráfico de influência e manipulação de bolsas de estudos, conforme a acusação do Ministério Público.
Tudo em troca de favores à universidade. A reportagem é de Felipe Bächtold. Não coloco o link para não frustrar quem tentar acessar a reportagem e não conseguir por não ser assinante.
Mas é possível chegar ao texto, em alguns casos, com busca no Google. Aproveite, porque a Folha está contando algo que quase ninguém conhece e, se depender dos jornais gaúchos, certamente não vai conhecer.