TAU GOLIN E OS FASCISTAS

Tem quem ache que o fascismo é uma manifestação sempre graúda. Não, ele é também miúdo, de varejo, raso, sorrateiro. O professor, jornalista e historiador Tau Golin denunciou a ação dos fascistas de Passo Fundo e foi processado sob a alegação de dano moral.
Tudo porque os identificou como fascistas. Todo fascista, graúdo ou miúdo, mas principalmente o miúdo, acha que é tudo na vida, menos fascista. O fascista não se admite nem mesmo como um sujeito de direita. O fascista acha que é apenas um liberal exagerado.
Pois Tau Golin enfrentou o processo, venceu em primeira instância (a defesa dele, de próprio punho, é uma aula) e enfrenta agora o recurso em segundo grau. O que pode acontecer? Eu torço para que a democracia vença e que os sujeitos que incorporam a defesa de autoritarismos e atos violentos assumam o que são.
Não dou nomes, porque não darei vitrine para quem não se reconhece olhando-se no espelho, ou finge não se reconhecer.
Espero que Tau Golin vença essa investida de representantes da república do relho. Conversei com ele esses dias por telefone. Está tranquilo. Tem, é claro, o meu apoio, o que pode não significar nada, mas é o que tenho a oferecer.
Um historiador deste tamanho sabe bem que a democracia e a História se encarregam, em algum momento, de cuidar desses trastes.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado e área interna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


8 + 8 =