TCHUTCHUCA

O pai foi caçado pela Justiça da direita e afastado da política por esse pessoal da turma das conges. Mas o filho é o filho. O deputado Zeca Dirceu, do PT do Paraná, filho de Zé Dirceu, pôs Paulo Guedes a correr da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.
Usou uma linguagem que o bolsonarismo usa e conhece muito bem. Zeca disse ao ministro, ao se referir à defesa que ele faz dos interesses de banqueiros, latifundiários e grandes empresários:
“Eu estou vendo que o senhor é tigrão quando é com os aposentados, com os idosos, com os portadores de necessidade. É tigrão quando é com agricultores, com professores. Mas é tchutchuca quando mexe com a turma mais privilegiada do nosso país. O cargo público que você ocupa exige uma outra postura”.
Guedes tentou se erguer com uma resposta de guri da 5ª Série:
“Tchutchuca é a mãe, tchutchuca é a avó!”
E foi embora, levado pelo cortejo choroso da direita. O bolsonarismo se abala quando é atingido com a linguagem que usa desde a campanha.
Eu não concordo muito com o que Zeca Dirceu fez, mas também não condeno. Talvez seja a única forma de falar com essa gente.
E o brasileiro médio imbecilizado pelo chanceler Araujo, pela Damares, pelos Bolsonaros e pelo Sergio Moro só entende essa linguagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


2 + 6 =