Compadres

Sergio Moro volta a defender, em entrevista à Folha, o vazamento para a Globo da conversa de Dilma com Lula. Disse que era do interesse do povo (mesmo que o ministro Teori Zavascki tenha decidido que foi um delito) e nenhum repórter o questionou.

E eram sete repórteres entrevistando Moro. Sete repórteres investigativos, segundo a Folha. Sete.

A entrevista é uma conversa de compadres. É um dos piores exemplos de jornalismo para estudantes de Comunicação.

São perguntas e respostas, sem nenhuma contestação. Isso não é jornalismo, é conversa combinada. O juiz deve ter imposto suas condições, para que as respostas não fossem questionadas, e sete repórteres se prestaram a fazer assessoria de marketing para a vara de exceção de Curitiba.

Moro vem com aquele amontoado de clichês sem nenhuma imaginação. O juiz é muito fraco quando tenta refletir sobre o que faz.

E Dallagnol consegue ser pior do que ele.

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/07/1905550-politicos-nao-tem-interesse-em-combater-a-corrupcao-diz-moro.shtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


5 + 7 =