A que ponto chegamos

O mais inacreditável, no debate das medidas aprovadas pela Câmara e que desagradaram tanto aos procuradores, é que tem gente do PFL apresentando-se como porta-voz da moralidade e do Ministério Público. Ninguém merece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


6 + 3 =