A BANDEIRA E OS CHATOS DA ESQUERDA

Conheço muitos dos que foram às ruas no sábado com bandeiras do Brasil. Eu mesmo publiquei fotos dos que apareceram na Borges e no Largo Glênio Peres e também vi imagens que outros publicaram no Facebook em que carregam a bandeira com destemor.

É gente progressista, de esquerda, com posições categóricas em defesa da democracia. Gente que vai muito além da militância virtual. Tenho inveja boa da capacidade de luta de muitos desses amigos.

O cara aí da foto é o economista e professor Volnei Piccolotto, um bravo amigo que, além de se dedicar a boas reflexões sobre o momento que vivemos, quase não sai das ruas. É um educador e intelectual de ação.

Então, vamos parar com essa conversinha chata de que a direita da esquerda foi que decidiu sair às ruas com a bandeira. É muito reducionismo.

Os embandeirados são democratas que, pelos mais diversos motivos, inclusive por relações de afeto e por registros históricos de memória, entendem que é hora de resgatar a bandeira.

É uma missão de guerra. Eles querem tirar do inimigo (sim, inimigo) o que ele pensa que é dele, mas não é.

Eu mesmo já cheguei a pensar, há muito tempo, que essa não era uma questão prioritária.

Mas não podemos cometer a bobagem de dizer que os que lutam pela bandeira e pelo verde-amarelo, como Guilherme Boulos luta desde 2018, estariam fazendo o jogo da direita.

Se Guilherme Boulos e Marcelo Freixo estão equivocados, é outra história. Que os contrários se manifestem, porque é do jogo.

Mas que não tentem desqualificar quem se sente bem andando com a bandeira no ombro. E que também não depreciem os que seriam de centro e preferem carregar a bandeira do Brasil, e não as bandeiras de PT, PSOL, PCO ou PCdoB e mesmo da CUT e de outras centrais sindicais. Qual é o problema?

Não há nenhuma chance de avanço das esquerdas e de fim do ciclo do golpe, num país com mais de 30 partidos, sem o acolhimento do centro democrático.

A infantilidade de certas esquerdas, que atacam todos os que consideram inautênticos, é prima da intolerância da direita e da extrema direita. É uma burrice histórica.

Os malas da esquerda precisam parar com essa frescura de escolher aliados puros entre os democratas. Se não conseguirem ser menos ingênuos, que deixem de ser chatos.

(Compartilho abaixo o link de texto que publiquei no Brasil 247, para quem quiser ler os comentários com ataques dos patrulheiros de bandeiras. O mesmo texto também levou bordoadas no meu perfil no Facebook.)

https://www.brasil247.com/blog/o-povo-quer-a-bandeira-de-volta

One thought on “A BANDEIRA E OS CHATOS DA ESQUERDA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


8 + 2 =