A CONFUSÃO NO ARIZONA

A agência de notícias Associated Press ajudou a criar a confusão que se estabeleceu ontem na contagem dos votos pró-Biden. A AP cravou, com mais ou menos 80% dos votos apurados, que Biden seria o vencedor no Estado.

Com isso, Biden conseguiria os 264 votos de delegados que muitos jornais, principalmente os brasileiros, passaram a anunciar, e não os 253 que a maioria dos jornais americanos informava, por desconsiderar o Arizona como vitória antecipada de Biden.

Hoje, muitos jornais começaram a recuar, entre os quais a Folha de S. Paulo, que voltou a informar uma contagem de 253 votos de delegados para Biden.

Abaixo, um texto que a AP publica agora no seu site tentando explicar o que aconteceu. É um texto cuidadoso. A AP realiza esse tipo de apuração, com projeções, há mais de um século.

(Segundo o The New York Times, a contagem no Arizona chegou a 86% dos votos. Biden tem 50,5% e Trump tem 48,1%; A diferença já chegou a ser de oito pontos.)
Este é o texto da AP:

UMA OLHADA MAIS DETALHADA NO ARIZONA

Autoridades estaduais dizem que ainda há cerca de 450 mil votos a serem contados no Arizona, um Estado decisivo na batalha eleitoral do oeste, onde o democrata Joe Biden tem uma vantagem de 2,35 pontos percentuais sobre o republicano Donald Trump, uma vantagem de cerca de 68 mil votos.

A Associated Press mostrou que Biden poderia vencer a corrida no Arizona. A AP informou nesta quinta-feira que continua monitorando a contagem dos votos no Estado à medida que as cédulas continuam sendo computadas.

“A Associated Press continua a assistir e analisar os resultados da contagem de votos do Arizona conforme eles chegam”, disse Sally Buzbee, editora executiva da AP. “Seguiremos os fatos em todos os casos.”

A grande maioria das cédulas que ainda estão sendo apuradas é do condado de Maricopa, a área mais populosa do Estado.
A próxima atualização das autoridades eleitorais no Arizona é esperada para as 21h de hoje.

A campanha de Trump diz que está confiante que o presidente ultrapassará Biden quando todos os votos no Estado forem computados.

A AP informou a possível vitória de Biden às 2h50 de quarta-feira, depois que uma análise das cédulas lançadas em todo o Estado concluiu que Trump não conseguiria se recuperar nas cédulas que ainda faltam para serem contadas.

O Arizona tem uma longa história política de votação nos republicanos. É o Estado natal de Barry Goldwater, um senador conservador por cinco mandatos que foi candidato republicano à presidência em 1964.

John McCain, o candidato presidencial do partido em 2008, representou o Estado no Congresso de 1983 até sua morte em 2018.

Mas a mudança demográfica, incluindo uma população latina em rápido crescimento e um boom de novos residentes, alguns fugindo do custo de vida disparado na vizinha Califórnia, tornaram o Estado mais amigável para os democratas.

Muitos dos ganhos foram impulsionados pela mudança política do condado de Maricopa, que abriga Phoenix e seus subúrbios. O condado de Maricopa responde por 60% dos votos do Estado, e Biden lidera lá por 4,2 pontos percentuais, considerando-se os votos que já foram tabulados.

2 thoughts on “A CONFUSÃO NO ARIZONA

  1. Esta preso na garganta o grito:
    “Chuppppp…….. Trump”

    Mas tb uma amostra do que vai ser 2022. O “coiso” vai ter muito voto infelizmente.

Deixe uma resposta para Marcelo Lopez Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


5 + 1 =