A DIREITA, AS MENTIRAS E AS IGNORÂNCIAS

Por que a direita mundial (e não só a brasileira) descobriu que é fácil eleger os seus, depois de disseminar mentiras e crueldades contra as esquerdas, negros, gays, índios? Porque a ignorância era maior do que a imaginada até pela extrema direita.
Em entrevista a Paulo Moreira Leite, para o Brasil 247, o embaixador aposentado José Maurício Bustani, aliado dos que tentaram evitar a invasão do Iraque pelos americanos, como diretor-geral da Organização para a Proibição de Armas Químicas, diz que até hoje 50% dos americanos acreditam que Saddam Hussein tinha mesmo armas químicas.
Bolsonaro, por obra de Carluxo e seus robôs, descobriu como fazer aqui o que eles fazem lá muito tempo. Com dois ou três torpedos pelo whatsapp, um fato está criado e se reproduz com facilidade entre parentes, amigos, colegas, vizinhos e cúmplices eventuais de ódios e difamações.
É o que Renato Janine Ribeiro identifica como a perversidade do entretenimento camuflado como troca de informações. A disseminação de fake news é muitas vezes uma diversão cruel que se propagada como contraponto à chatice do jornalismo ou de qualquer tentativa de reflexão dita séria.
Abaixo, o link para a entrevista de Bustani:

https://www.brasil247.com/blog/aprendi-com-o-trump-brasil-first-ensina-jose-bustani

One thought on “A DIREITA, AS MENTIRAS E AS IGNORÂNCIAS

  1. Logo após a eleição do Trump, o DCM publicou o relato de um cidadão que trabalhou em sua campanha mostrando-se impressionado com a facilidade com que a direita acredita nos maiores absurdos. Talvez por masoquismo, frequento a caixa de comentários de alguns jornais e tb me assusta o nível de preconceito e desinformação dos seus militantes, a ponto de manter registro de alguns deles. Uma vez, tentei argumentar com um deles, citando o jornal O Globo. Ele disse que não aceitava jornal comunista como fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


5 + 8 =