A direita boliviana fracionada

A direita boliviana comete o erro da sua turma na Venezuela, onde nem a tentação do golpe consegue unir os reacionários.
Cinco coalizões da direita boliviana, com a participação de golpistas, vão disputar as eleições de 3 de maio.
O Movimento para o Socialismo (MAS), de Evo Morales, golpeado pela extrema direita em novembro, deve vencer de novo, desta vez no primeiro turno.
Morales, exilado na Argentina, não concorre. O candidato a presidente pelo MAS é seu ex-ministro da Economia Luis Arce Catacora. O vice é o ex-ministro das Relações Exteriores David Choquehuanca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


3 + 6 =