A PRAIA E O DISCURSO

Renato Portaluppi, idoso e cardíaco, passou pelo vexame de ser flagrado duas vezes na praia jogando bola, com aglomeração de amigos e sem máscara (na segunda, pagou o mico de ser convidado a deixar a areia pelo guarda da prefeitura).

Deu um péssimo exemplo, mesmo sabendo que as referências do futebol são relevantes para os jovens.

E agora vem com a conversa de que dedica a vitória na pelada de ontem ao pessoal da linha de frente dos hospitais.

São bons de discurso os bolsonaristas do futebol.

(Dia desses me alertaram aqui que eu não deveria comentar nada sobre Renato, pra não misturar futebol e política. Primeiro, acho que essa mistura deve ser feita sempre e que precisamos politizar o futebol em defesa da democracia e das liberdades. E quem mais faz essa mistura hoje, mas de forma errática e precária, é o próprio Renato. Eu não temo incomodação com renatistas ou com gremistas bolsonaristas, Figuras públicas devem se submeter a todo tipo de avaliação. E por isso precisam ter cuidado com o que fazem e dizem publicamente quando se identificam com posições e ídolos da extrema direita.)

____________________________________________________________________

LÁ E CÁ

Os argentinos estão preocupados com a tendência de alta nas mortes pela pandemia. Foram 29 ontem.

No Rio Grande do Sul, foram 48. A Argentina tem 45 milhões de habitantes. O Rio Grande do Sul tem 11 milhões.

One thought on “A PRAIA E O DISCURSO

  1. Que falta fazem João Saldanha e Dr. Sócrates, porém, para NOSSA saúde mental, ainda temos Casagrande, Honda, Autuori, Raí e Hamilton.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


8 + 9 =