Águas dóceis e murmurantes

Napoleão Maia Filho, o já famoso ministro do TSE que ameaça degolar os inimigos, é poeta. Nesses dois poemas, uma amostra do seu talento para a temática erótico-marítima:

A Ostra
Esconde-se na sua intimidade
a cintilação da pérola furtiva
e oculta o brilho e a fecundidade
de tudo que por ela se principia.

É campo, área e vazante
úmida, fértil e macia
com as águas dóceis e murmurantes
de um túrgido rio que se anuncia.

…………………………..

A Vaga
No mar a onda brilhante
susta o tempo:
é aquele instante
do longo momento
interminável e só,
quando o movimento
se faz e se contrai.

Inverte-se o líquido
o mar é o infinito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


3 + 7 =