AS CRUELDADES DA DIREITA

Faltam médicos, enfermeiros e remédios. E muitos dos funcionários sobreviventes serão mandados embora de uma forma inédita.
Essa foi a saída encontrada pela direção do hospital: os próprios servidores terão de decidir entre eles quem deve ser demitido, e não os diretores.
Aí está a crueldade. O hospital decide quantos devem ser demitidos, mas não diz quem irá embora. Os funcionários são induzidos a escolher quem sai. Cem deverão ser dispensados.
E onde se passa isso? Na Venezuela estraçalhada de Maduro? Não, na Argentina de Mauricio Macri, onde a miséria aumenta e é vista nas ruas como nunca se viu antes. Os demitidos são do Hospital Posadas, de Buenos Aires.
A direita sabe ser cruel com a sua gestão egoísta de dramas humanos. A notícia, pelo que tem inusitado, foi parar na capa do jornal Pagina12.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


7 + 6 =