As mulheres e as entranhas do bolsonarismo

São valentes os machos que atacaram Dilma em matilha dentro do avião. Os machos do bolsonarismo se unem para atacar mulheres, negros, pessoas com deficiência, índios e idosos.

O bolsonarismo é um ajuntamento de homens que temem as mulheres. No mundo instável do bolsonarista inseguro, a mulher é sempre a maior ameaça.

Ex-aliadas devem contar o que sabem desse mundo. Joice Hasselmann precisa ir além do que revelou sobre a conversa em que Bolsonaro referiu-se a uma deputada aliada como prostituta.

Denúncias sobre envolvimento com milícias, brigas pela dinheirama do partido, laranjas e tantas outras denúncias que ninguém investiga são repetitivas.

O bolsonarismo pode ser abalado por revelações das mulheres
que conviveram com algumas das facções, dentro ou fora do governo.

As mulheres devem falar, como algumas já falaram sobre como os homens do PSL usavam suas amigas para dividir a grana do fundo partidário entre os machos. Mas ainda é pouco.

Precisamos saber mais desse mundo que se manifesta em toda parte, inclusive dentro de aviões, onde o macho bolsonarista de gravata se sente mais seguro.

Os machos bolsonaristas, cúmplices da pregação que levou ao assassinato de Marielle e à matança de mulheres, precisam ser desmascarados pelas próprias dissidentes do bolsonarismo.

E está na hora de ver as mulheres brasileiras fazerem o que as mulheres chilenas fazem quase todos os dias, indo para as ruas para atacar não só o pinochetismo de Piñera, mas também o fascismo cotidiano.

Uma Dilma sozinha pode reagir, como reagiu com bravura, mas até quando? O Brasil ficaria bonito com milhões de Dilmas, Marias do Rosário, Djamilas, Manuelas, Marielles e Beneditas nas ruas.

VÍDEO: “Ótimo é o Bolsonaro, que defende milícia”, diz Dilma a bolsonaristas que a hostilizam em avião

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


7 + 3 =