AS URNAS E OS GENERAIS

O técnico em eletrônica Marcelo Abrieli, que Bolsonaro tentou usar como especialista em fraudes em urnas, para sabotar as eleições, começa a atormentar Bolsonaro e os generais.

Abrieli passa a ser informante das manobras de Bolsonaro e dos generais Augusto Heleno e Luiz Eduardo Ramos, que tentaram descobrir furos no sistema de votação.

Está em depoimento de Abrieli à Polícia Federal. Bolsonaro acionou os dois generais para que, com a ajuda de um técnico em eletrônica, o governo destroçasse o sistema de votação.

É grave, é gravíssimo. Está em manchete da Folha. É a mais aterradora das informações surgidas até agora dentro do plano do golpe.

Generais procuraram um técnico em eletrônica para descobrir fraudes que, no depoimento à Polícia Federal, Abrieli nem soube dizer quais são.

É a prova de que Bolsonaro empurrou os militares para a farsa que tenta desqualificar as urnas.

A turma contava com a ajuda de um, apenas um, técnico em eletrônica, que teria a missão de desmoralizar um sistema consagrado e respeitado mundialmente.

Abrieli é aquele sujeito que apareceu em live de Bolsonaro no ano passado, quando o golpista fez ataques às urnas.

O homem que iria ajudar a destruir a reputação de profissionais e autoridades dedicadas à eleição e à democracia precisa contar mais sobre essa conspiração.

Precisamos de detalhes dessas conversas.

_________________________________________________________________

O ESCANDALOSO SALÁRIO DOS MILITARES
Mais uma da Folha que, depois de reportagens em que faz média com os generais, decidiu apresentar um contraponto.

Texto do jornal mostra que é fácil entender por que os fardados não querem largar o governo e por que Bolsonaro ameaça com o golpe.

O general Luiz Eduardo Ramos, ministro da Secretaria de Governo, recebeu R$ 874 mil em 12 meses, entre abril do ano passado e março deste ano.

O general Augusto Heleno, ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) da Presidência, recebeu R$ 866 mil.

O general Hamilton Mourão recebeu R$ 668 mil em um ano. O general Walter Braga Netto, ex-ministro da Defesa e agora vice na futura chapa de Bolsonaro, embolsou R$ 656 mil.

Os números estão em reportagem da Folha sobre o escandaloso salário dos militares, e não só dos generais.

Os vencimentos milionários são possíveis por causa de portaria assinada por Bolsonaro, em abril do ano passado, que permite o acúmulo de salários e aposentadorias acima do teto constitucional.

__________________________________________________________________

MORTES MISTERIOSAS
Nos últimos três meses, sete milionários da Rússia morreram sob circunstâncias enigmáticas. São o que a imprensa chama de oligarcas.

Alguns foram mortos junto com pessoas das suas famílias. A maioria deles tinha envolvimento com os setores de gás e petróleo.
Todos, pelo que se sabe, lutavam pela construção do que chamam de novo mundo multipolar.

Está cada vez mais arriscado ser oligarca russo. E a guerra segue em frente, com o apoio de Bolsonaro.

O link para o site da Deutsche Welle (DW) está logo abaixo:

https://www.dw.com/pt-br/a-misteriosa-onda-de-mortes-de-oligarcas-russos/a-61736808?fbclid=IwAR1KkUYXsEvX8nR4dPAukoAnJZlbfz6dYlqi4G3eN9ZbbhY-jTfbFFdoeZc

One thought on “AS URNAS E OS GENERAIS

  1. E sabe o que vai acontecer? Nada.
    Os generais querem continuar tirando o leite dos cofres PÚBLICOS ( nossos impostos pagos ) enquanto A população não tem dinheiro para comprar o gás de cozinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


9 + 6 =