BOLSONARO ENTREGA MORO AOS PREDADORES

As chances de Sergio Moro ser um dia ministro do Supremo passaram a ser as mesmas de Rodrigo Maia subir os primeiros 500 metros do Everest, mesmo com tubo de oxigênio.

Sergio Moro foi condenado a dançar com Bolsonaro até o dia em que um suportar o bafo do outro, e quando um deles decidir saltar fora e abandonar o baile. Hoje, os dois estão grudados.

Quando se soltarem, Moro será obrigado a assumir sua nova atividade de alto risco, a de político profissional que pode em 2022 se tornar candidato a presidente da República.

Não era esse o destino que o ex-juiz almejava. Moro deixou a magistratura por que desejava ser ministro do Supremo e sentar-se ao lado de Luís Roberto Barroso.

Sim, sabemos que Celso de Mello, o ministro que vai se aposentar em 2020 (e que Moro poderia substituir, mas não vai) senta-se na ponta esquerda, ao lado de Gilmar Mendes.

Mas Moro já havia planejado que pediria para trocar de lugar com Alexandre de Moraes, para que pudesse sentar-se ao lado Barroso, o amigo da Lava-Jato.

O ex-chefe de Dallagnol já sabe, e todos nós sabemos, que ele não terá essa chance. Moro foi empurrado para a arena da rinha, para as primeiras eliminatórias, e somente sairá dali como sobrevivente ou derrotado e todo lanhado.

O ministro de Bolsonaro ocupou a mesma faixa do eleitorado do chefe e cometeu assim seu mais grave erro. Essa é a faixa não só de Bolsonaro, mas também a de Witzel.

Hoje, Bolsonaro disse que, se Moro decidir ser candidato, “o Brasil estará em boas mãos”. Bolsonaro deflagrou, por maldade e para queimá-lo, a campanha do seu ministro da Justiça.

São dois os recados, pelo menos para consumo externo: que, definitivamente, o subalterno não mais será indicado ao Supremo e que a partir de agora ele terá de se virar nos 30 como político.

Bolsonaro está dizendo a Sergio Moro: faça bom uso da sua popularidade do jeito que for possível, inclusive atacando minha decisão favorável à criação do juiz de garantia, porque o jogo será pesado.

O ex-juiz foi entregue publicamente por Bolsonaro aos predadores da extrema direita.

One thought on “BOLSONARO ENTREGA MORO AOS PREDADORES

  1. Mano do céu, de onde você tirou que o Sérgio moro queria ser ministro do supremo, ou melhor, porque cargas d’água para ser indicado ele precisaria deixar a magistratura?
    Seria muito melhor ele dar uma de Fux e se humilhar e operar nos bastidores.
    O que o Moro queria ao aceitar o cargo de ministro da Justiça era poder conspirar e rapidamente derrubar o Bolsonaro.
    Foi prometido a ele carta branca, que ele indicaria o pgr, o diretor da polícia federal e que poderia levar a quadrilha de concurseiros dele para Brasília.
    Ele pensou que no máximo até outubro a conspiração – já teve o caso Queiróz, micheque, laranjas e chocolates – estaria a pleno vapor e ele, o Moro, derrubaria o Bolsonaro.
    Chamariam novas eleições e o Moro concorreria contra o Haddad e a Marina Silva.
    O Sérgio Moro é um desses concurseiros ignorantes e picaretas, e assim deve ser visto, isto é, ele leva vantagem, ele tem privilégios, ele não concorre, ele vence na fraude.
    Ele queria tirar todos do caminho para se tornar presidente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


2 + 9 =