Caramelo e o poder do humor

O texto que compartilho logo abaixo é da apresentação do livro ‘Humor é coisa séria’ (Arquipélago Editorial), do psicanalista e meu amigo Abrão Slavutzky (foto), no site da Amazon.

Tenho falado desse livro. Podem perguntar: por que tratar de humor logo agora? Porque principalmente as brincadeiras com o cavalo Caramelo, presentes em vários perfis aqui na internet, incomodaram muita gente. Algumas charges também incomodaram, o que é natural nesses momentos.

Qual é o argumento para o incômodo? Dizem que não se deve brincar com nada nessas situações. Não se brinca, dizem, nem com o drama vivido pelo cavalo.

Mas vamos tentar entender por que as pessoas (eu inclusive) brincaram com a cena improvável do cavalo no telhado. Eu digo apenas que aquela cena era uma das frestas abertas para o humor nas atuais circunstâncias.

Porque sabíamos que o cavalo seria salvo. Porque eu, como fronteiriço e conhecedor de algumas das lidas de campo, sei que cavalo fica em pé por horas, que raramente deita, que dorme em pé. E que aquele pangaré seria resgatado.

Mas, voltando ao começo, compartilho aqui o texto que está no site da Amazon sobre o livro em que Slavutzky nos mostra por que muitas vezes nos protegemos no humor e no riso na hora das desgraças.

É uma obra densa, profunda, mas também leve e divertida sobre a força protetora do humor. Se tivesse sido editado em Paris, esse livro seria best-seller mundial.

‘Humor é coisa séria’ deve ser lido também pelos que se incomodam com o riso nessas circunstâncias. Eu os entendo, porque a maioria das situações não permite a ironia e a graça em momentos como o que vivemos. Mas alguns episódios, sim.

Estou sugerindo que leiam o livro que explica por que o humor pode nos salvar. Eis o texto que fala da obra no site da Amazon:

“Este livro nos apresenta um panorama inédito e provocativo do revolucionário poder do humor. O psicanalista Abrão Slavutzky constrói uma história cultural do humor na qual discorre, com igual maestria, tanto sobre a sabedoria de Dom Quixote quanto a respeito do nascimento e desenvolvimento do humor infantil. E ainda analisa o humor como centelha para o sexo, antídoto para o desamparo e constante ameaça ao autoritarismo. Humor é coisa séria é um livro para toda e qualquer pessoa que já tenha sentido a fundamental necessidade de sorrir diante dos assombros e das tristezas da vida – como fizeram os judeus que utilizaram o humor como recurso de sobrevivência nos campos de concentração nazistas, como nos ensina um dos mais instigantes capítulos desta obra. Parafraseando Italo Calvino, um dos autores prediletos de Abrão Slavutzky: num mundo pleno de tragédias, devemos tentar identificar aquilo que, em meio ao trágico, é tragicômico ou cômico, e preservar o humor”.

____________________________________________________________________

QUEM TOPA?
Quem se arriscaria a subir no telhado para salvar Eduardo Leite e Sebastião Melo?

____________________________________________________________________

OUTRO BICHO
Uma dúvida que faz algum sentido. E se o Caramelo não fosse um cavalo, mas um porco no telhado?

_____________________________________________________________________

MAIS UMA
É preciso considerar todas as hipóteses. Historiadores sugerem que o cavalo Caramelo poderia estar no telhado desde a enchente de 1941.
Agora chegou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


2 + 4 =