O LATIM DA ENROLAÇÃO

O debate que tenta descobrir de quem é a culpa pela soltura do traficante, se de Marco Aurélio ou do juiz ou do Ministério Público ou da lei, é um despiste. É uma conversa hermenêutica em latim diversionista. O grande debate em torno do caso do traficante deve passar pela podridão da Justiça. Principalmente do

AGORA, O PROBLEMA É O ÓRGÃO EMISSOR

Depois do cansaço dos debates sobre delações e condução coercitiva, o Brasil discute as novas regras para a prisão preventiva. É uma enrolação maior do que as questões anteriores. Como é novidade, os novos especialistas ainda estão meio perdidos. Mas todo mundo argumenta sobre prisão preventiva. O ministro Marco Aurélio soltou o traficante André do

E QUE TAL UM GENERAL NO SUPREMO?

Bolsonaro avançou mais um pouco no projeto de contar com alguém terrivelmente evangélico no Supremo. Agora, deseja ter um pastor. Será sua escolha para próxima vaga, a de Marco Aurélio, no ano que vem. Um ministro tão sério, compenetrado e cumpridor das liturgias poderá ser substituído por um exorcista. Ministro do Supremo não precisa ser

O SUJEITO É O QUE É

Em agosto de 2018, o deputado e ex-ministro do Meio Ambiente Carlos Minc disse isso a respeito de Bolsonaro nas redes sociais: “Machista, homofóbico, antiecologia, racista, truculento. Tem sete mandatos, votou a favor de mordomias de deputados e diz não ser político. Defende ditadura, tortura, fim de políticas sociais”. Bolsonaro processou Minc por difamação. O

CELSO DE MELLO NÃO SE ASSUSTA COM BOLSONARO

Será que vem nova ameaça, depois da decisão do ministro Celso de Mello determinando que Bolsonaro preste depoimento presencial, e não por escrito, à Polícia Federal? Bolsonaro deve dizer, no inquérito aberto por denúncia de Sergio Moro, se interferia politicamente na Polícia Federal. O sujeito queria depor por escrito. Não vai levar. Este é um

NÃO COBREM TUDO DE CELSO DE MELLO

Alguém imaginava mesmo que Celso de Mello poderia impedir a manifestação desta sexta-feira em Brasília da turma que vem atacando o Supremo? Não poderia. Todos sabem que o ministro defende a liberdade de expressão e de reunião (com a ressalva de que todos devem se responsabilizar pelo que dizem, escrevem e fazem). Mas muitos se