Considerações sobre o Fator Geddel

1 – A operação que levou ao Tesouro do Geddel mostrou que a Justiça seletiva de Curitiba (e suas franquias em outros Estados) não é a única na guerra à corrupção. Um juiz determinou a apreensão do que houvesse no apartamento de um coronel baiano, e não de um político qualquer. E a Polícia Federal cumpriu a ordem sem vazamentos. Até agora, a PF mais famosa e hegemônica era a do japonês de Curitiba, que tinha até grupo de delegados tucanos no WhatsApp. A PF marcou pontos na operação Tesouro do Geddel.

2 – A prisão de Geddel muda de nível a guerra à corrupção em relação à direita. Geddel é o primeiro grande nome da máfia do golpe que vai preso depois de Eduardo Cunha. Esperavam que prendessem Aécio, Padilha ou Jucá, mas o preso é Geddel. E Geddel é o mais frágil de todos, o mais bobão, o mais vulnerável. Mas é também o que mais sabe de todos. Geddel não soube guardar as malas, mas era o prestativo da quadrilha. Esse é o perigo para o jaburu.

3 – Quem no Supremo terá coragem para mandar soltar Geddel? Gilmar Mendes, sempre ultrapassando seus próprios limites, seria capaz disso? Desta vez, com malas e tudo, será mais complicado. E se soltar, o que pode acontecer? Seria criada uma nova novela de prende-e-solta?

4 – O que Geddel sabe mesmo do Judiciário que Joesley Batista pensa que sabe? Mas Geddel vai delatar o Judiciário para o próprio Judiciário, que só quer saber de pegar Lula?

5 – Precisamos acreditar que, além de Joesley, Geddel também pode ser um delator fora do esquema de dedar apenas Lula. Desde que alguém se disponha a ouvi-lo. Curitiba já não tem o controle absoluto da Lava-Jato e não pode exercer influência sobre ações paralelas que fujam do foco curitibano do cerco a Lula. Geddel contará o que sabe até aos carcereiros.

6 – Está para acontecer o grande fato da Lava-Jato envolvendo os golpistas. Os golpistas já não estão seguros de que determinam sozinhos o roteiro de tudo. Estamos entregues ao Fator Geddel. E, para complicar, Joesley também pode ser preso.

 

One thought on “Considerações sobre o Fator Geddel

  1. Eu ainda tenho a convicção de que Geddelzinho vai ser induzido, convencido de maneira sutil, a dizer que as malas eram do Lula. E como prova demolidora vai citar o número cabalístico 51.
    Somente Lula teria a idéia de esconder uma fortuna com este número de milhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


9 + 2 =