Fascistas e rococós

O fascismo avança. A reforma administrativa de Bolsonaro pode prever o que seria inimaginável, a proibição de filiação partidária de servidores públicos.
E no Rio grande Sul a base policial da direita rococó, que ajudou a eleger o bolsonarista disfarçado de tucano, prepara-se para a perda de direitos dos brigadianos e dos bombeiros.
A direita brasileira no poder é um fenômeno, porque recebe apoio incondicional de quem mais adiante irá maltratar.
E está apenas no começo no Estado o projeto de total liberação da área ambiental a todo tipo de criminoso.
A estratégia dos bolsonaristas dissimulados engana quem quer ser enganado. É fofa com arte e cultura e flexível na área dos costumes, mas entreguista do patrimônio público e implacável com direitos sociais, professores, servidores, ambientalistas.
A direita rococó é mais perigosa do que a direita sem dramas de consciência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


4 + 9 =