FERNANDO HENRIQUE PÕE BOLSONARO NO COLO

Fernando Henrique Cardoso em artigo hoje no Globo sobre a possibilidade de impeachment de Bolsonaro:

“Não é hora, contudo, para o ajuste de contas. A experiência mostra que é melhor esperar que o tempo escoe do que precipitar o fim de governos. Mais um pouco – se o povo não insistir nas antigas preferências e se tivermos a sorte de existir alguém que abra um caminho mais promissor – haverá novas eleições. Mudaremos algo?”

Agora, Fernando Henrique Cardoso em entrevista ao Estadão em 20 de março de 2016:

“Dificilmente você vai ver uma palavra agressiva minha em relação à presidente Dilma. Não apenas pela consideração institucional, mas também pessoal. Mas, com a incapacidade que se nota hoje de o governo funcionar, de ela resistir e fazer o governo funcionar, eu acho que agora o caminho é o impeachment”.

No golpe contra Dilma, sem nenhuma comprovação de delito, FH não quis esperar que o tempo escoasse. O FH fofo não tinha uma palavra agressiva contra Dilma, mas queria o golpe.

Mas no cenário atual, de destruição do país por um genocida, FH é contemplativo e compreensivo com Bolsonaro e a matança da pandemia.

Ao assegurarem suporte político a Bolsonaro, FH, seus tucanos e a direita dita liberal se aliam à extrema direita e são cúmplices do genocídio.

2 thoughts on “FERNANDO HENRIQUE PÕE BOLSONARO NO COLO

  1. Este é o mesmo sujeito que dizia, em várias entrevistas quando na presidência, para esquecer tudo o que tinha escrito como acadêmico da SOCIOLOGIa. Ele é o retrato bem definido do Brasil politicamente arcaico, porém, para tristeza do campo progressista, ainda tem pleno acesso aos microfones e holofotes.

  2. Este é o tipo de comportamento daqueles inúmeros “sujeitos” que passaram pela história, arrumaram a sua vida e a dos seus, sabendo que o bem bom está garantido e portanto se lixando para o que acontece no contexto social. Com 90 anos já tem a vida mansa desde os 37 anos. Achas que este
    cara está preocuparo dom o país?
    13.05.1998/ da Agência Folha, em Porto Alegre

    A primeira-dama Ruth Cardoso, que se aposentou aos 55 anos, não quis comentar a declaração do presidente Fernando Henrique Cardoso segundo a qual é “vagabundo” quem se aposenta com menos de 50 anos.
    “Eu não tenho nada a ver com o que o presidente disse”, afirmou Ruth, após dar entrevista coletiva sobre projetos para educação na América do Sul e no Caribe.
    FHC, que tem 66 anos, recebe aposentadoria desde os 37, após ter trabalhado durante 12 anos como professor na USP (Universidade de São Paulo). Hoje, sua aposentadoria é de R$ 5.450.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


6 + 4 =