ESTA É A ÚLTIMA: BOLSONARO VAI ENFRENTAR BIDEN

Agora chega da falsa controvérsia sobre as possíveis afinidades entre Donald Trump e Joe Biden. Negros, índios, gays e minorias sabem bem quais são suas diferenças.

Chineses e russos também sabem. Os russos talvez porque apostem de novo em Trump. Os chineses porque dependem das suas barbeiragens para continuar avançando como a nova potência mundial.

Árabes não alinhados aos americanos e os sempre perseguidos muçulmanos também sabem. Os refugiados estão sabendo há muito tempo. Os mexicanos são os que mais sabem.

Não seremos nós aqui, sem condições de reagir a Bolsonaro e aos seus filhos, que ficaremos dizendo aos americanos o que é melhor para eles.

Mas sabemos o que é melhor para nós. Biden é o menos pior, com certeza.

Dizer que Trump e Biden farão guerras, como todos sempre fizeram, sendo republicanos ou democratas, é ser simplificador.

Nem Bernie Sanders, se fosse eleito, conseguiria evitar guerras. Mas tem gente que acha que os americanos deveriam eleger alguém como Guilherme Boulos.

Um democrata de centro não pode tudo, assim como o papa Francisco também não pode quase nada no Vaticano. Obama não conseguiu desativar a prisão de Guantánamo. Nem o embargo contra Cuba.

Mas Obama não foi um Bush, não foi igual ao pai e tampouco ao filho. E Biden não será um Trump. É pouco?

Pergunte a todos os humilhados, massacrados e perseguidos por Trump sobre o que eles acham dessa história de que, se ele ficar, ou se Biden assumir, não muda nada. Leia o que dizem os ambientalistas, as feministas, os humanistas.

Tente descobrir o que os líderes da Ku Klux Klan acham de um e de outro. Se os policiais que matam negros todos os dias nas ruas acham que Trump e Biden são iguais.

Se Trump vencer, o problema será maior do que é hoje para nós também. Bolsonaro ficará mais forte. As milícias serão mais poderosas, em toda parte. Os militares serão irremovíveis do governo, no caso o brasileiro. Os garotos de Bolsonaro serão ainda mais insuportáveis.

Talvez ninguém saiba direito o que será dos americanos e de todos nós se Biden vencer. Mas todos sabemos o que acontecerá se Trump continuar no poder.

Mesmo assim, temos alarmistas de esquerda com todo tipo de argumento. O alarmismo mais recente, com abordagem verde-amarela, que apareceu essa semana, é este: a vitória de Biden fortaleceria Bolsonaro, porque o sujeito passaria a atuar contra um inimigo e seria o defensor ardoroso dos interesses do Brasil.

Bolsonaro seria ainda mais fortalecido com Biden do que com Trump, porque teria um vilão “de esquerda”. Bolsonaro jogaria para o seu público. É o que dizem.

É outra bobagem. Alguém imagina Ernesto Araujo desafiando os Estados Unidos? Bolsonaro fazendo lives ao lado do deputado Helio Negão com recados para a Casa Branca?

E como ficaria o guru Olavo de Carvalho, como morador dos Estados Unidos? Também atacaria Biden?

O bolsonarista médio, que acredita nos milagres da cloroquina, seria capaz de achar mesmo que Bolsonaro e seus generais podem enfrentar os americanos, se os democratas chegarem à Casa Branca.

Mas esse brasileiro médio idiotizado por Bolsonaro sabe pelo menos que Biden e Trump não são iguais. Eles sabem o que é um liberal moderado e o que é um fascista.

4 thoughts on “ESTA É A ÚLTIMA: BOLSONARO VAI ENFRENTAR BIDEN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


9 + 2 =