INSPIREM-SE EM CELSO DE MELLO

Quem estiver desorientado sobre o que fazer da vida diante dos blefes de Bolsonaro, da violência dos fascistas e das notinhas dos militares deve se inspirar no ministro Celso de Mello.

Atacado, cercado por todos os lados, acossado pelo bolsonarismo, Celso de Mello reafirma sua integridade. Não é apenas uma questão de destemor, mesmo que isso seja relevante.

É a imposição da voz mais forte hoje no Supremo em defesa das liberdades porque essa é a sua missão. Celso de Mello é a nossa garantia de resistência institucional, quando pouco ou nada pode se esperar do Congresso diante do bolsonarismo.

Temos no Supremo uma referência forte, talvez a mais importante hoje, para dar suporte aos que ainda vacilam. Vale a pena resistir, e Celso de Mello está ali para dizer que podemos contar com a sua bravura.

O que ele fez hoje, mandando mais um recado ao governo e aos fardados que o atacam para tentar amedrontá-lo, é comovente pelo conteúdo e pelo que representa. A História nunca será escrita pelos que se acovardam.

Leiam o que ele disse, na sessão da Segunda Turma:

“É inconcebível que ainda sobreviva no íntimo do aparelho de Estado brasileiro o resíduo de forte autoritarismo, que insiste em proclamar que poderá desrespeitar, segundo sua própria vontade arbitrária, decisões judiciais. Esse discurso não é um discurso próprio de um estadista comprometido com o respeito à ordem democrática e que se submete ao império da Constituição e das leis da República”.

Disse mais o ministro:

“É essencial relembrar a cada momento as lições da História. Enquanto houver cidadãos dispostos a submeter-se ao arbítrio sempre haverá vocação de ditadores, é preciso resistir, mas resistir com as armas legítimas da Constituição e das leis dos Estados brasileiros e reconhecer na independência da suprema corte a sentinela das liberdades. Porque sem juízes independentes jamais haverá cidadãos livres neste país”.

Também hoje a ministra Cármen Lúcia, presidente da Segunda Turma, manifestou-se sobre as agressões ao STF:

“Esse cenário instigado e incentivado que nada tem de espontâneo por alguns poucos que se negam a acatar os valores de humanidade, de respeito social individual e institucional, que parecem não se preocupar em que a convivência democrática não pode ser dificultada, tem que ser facilitada”.

É isso mesmo. Nada do que acontece é espontâneo. E saberemos logo, com a quebra do sigilo bancário dos investigados no processo das fake news, quem financia o fascismo que prega o golpe nas ruas.

____________________________________________________________________

O HUMOR DE THE CAVERÁ TIMES

____________________________________________________________________

SOMOS TODOS AROEIRA]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


2 + 4 =