INVESTIGAÇÃO DE ESPIONAGEM CHEGA AO ‘SOMBRA’ DE MACRI

Esse aí na foto teve a casa pedalada hoje pela Polícia Federal argentina. É Darío Nieto, um dos suspeitos de comandar as operações da rede de arapongas no governo de Maurício Macri.

A polícia fez busca e apreensão atrás de provas. O rapaz foi assessor particular de Macri nos quatro anos de governo. Ele teria trabalhado em articulação com a espiã Susana Martinengo, que também assessorava diretamente o então presidente.

Ela é quem levava os informes das espionagens a Macri. Nieto era subordinado a Susana, chefe de documentação do gabinete.

O rapaz, de 35 anos, é apresentado pelo jornal La Nacion como uma espécie de faz-tudo de Macri (era até motorista). Ele foi definido há muito tempo pela imprensa como “o sombra” do ex-presidente, porque o acompanhava para onde fosse. Ainda está trabalhando com Macri como seu secretário particular.

A rede ilegal de arapongas foi criada dentro da Agência Federal de Inteligência (AFI), que vem a ser a ABIN deles. Espionava a vida de Cristina Kirchner, deputados, senadores e líderes da oposição, jornalistas, sindicalistas.

Um detalhe da investigação, cujo inquérito está aos cuidados do juiz federal Federico Villena: os ‘detetives’ de Macri, funcionários do governo, pagos com dinheiro público, estão falando.

A Justiça Federal só em tendo acesso a informações decisivas para o esclarecimento dos crimes porque servidores que se dispuseram a realizar o trabalho sujo, alguns dos quadros de carreira, estão delatando os comparsas.

Darío Nieto foi um dos delatados. Ao chegar ao moço, a Justiça se aproxima de Macri, porque o investigado tinha acesso ao presidente como poucos assessores.

O desafio é pegar os grandes chefes do esquema, que usava Nieto como uma ponte entre os arapongas e Macri.

A agência ilegal de espionagem, que eles mesmo denominaram de Super Mario Bros, funcionava em um apartamento com arapongas distribuídos por Buenos Aires, para que todos os passos de Cristina e outros inimigos do governo fossem seguidos.

Alguém suspeita de que possa existir algo parecido no Brasil?

____________________________________________________________________

EFEITO QUEIROZ
Bolsonaro abandona a farsa do golpe e se apresenta agora como um fofo defensor da paz e da harmonia com o Supremo.
O Supremo vai embarcar nessa nova fraude do sujeito que participava de manifestações pelo fechamento da Corte?
O Supremo vai cair na conversa do cara que protegeu o ex-ministro analfabeto que chamou os ministros de vagabundos?
A famosa leitura enviesada do artigo 142 da Constituição, que Bolsonaro apresentava como arma (como se as Forças Armadas fossem um “poder moderador”), é jogada num canto.
Bolsonaro passa a interpretar um personagem que nunca imaginou incorporar, para tentar sobreviver como um novo homem cordial.

2 thoughts on “INVESTIGAÇÃO DE ESPIONAGEM CHEGA AO ‘SOMBRA’ DE MACRI

  1. E como está o humor do presidente, já sabendo da Vitória do filho senador na justiça do Rio? Acho que agora ninguém mais segura o quarteto.

    Agora, É Inaceitável, para dizer o mínimo, que os promotores envolvidos nas investigações não tenham percebido, desde o início, a fragilidade dos argumentos para manter a ação na instância errada. Será que eles não vinham percebendo com quem estavam lidando? E para os 4 soltarem mais gargalhadas, daqui a pouco soltam o queiroz. Definitivamente, o Brasil não é para amadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


8 + 1 =