JOGA PEDRA NA SAMAMBAIA

Alguns governadores, entre os quais o do Rio Grande do Sul, não terão problemas com a direita mais bolsonarista que torce pela peste. Quem vai virar saco de pancadas dessa gente – e comemorar muito – é Doria Júnior.

O bolsonarismo esqueceu o PT e Lula por alguns momentos para bater em Doria Júnior. A moda agora é fazer carreata na Avenida Paulista contra o ex-aliado, ou – como definiu Luis Nassif – a samambaia que virou presidenciável.

Ninguém mandou o governador ameaçar prender quem continuar circulando por São Paulo, como estratégia antiBolsonaro.

Os bolsonaristas querem gente circulando pelo comércio, para ficar com os R$ 600 dos trabalhadores informais e os R$ 1.200 que as mães receberão da ajuda de emergência.

Os rebelados estão juntos com bancos e igrejas só esperando o dinheiro dos pobres.

No Rio Grande do Sul, o governador anda pra frente e pra trás, faz o jogo das igrejas e do reacionarismo e nunca será atacado pela direita.

É um sujeito esperto, submetido às ordens do bolsonarismo, porque não quis ocupar o lugar em que Doria se acomodou.

Doria passa ser a opção da direita de centro que os tucanos procuram desde o sepultamento político de Serra e Aécio.

O custo é a desavença com o bolsonarismo. Mas foi uma escolha, até porque essa faixa que Bolsonaro pode desocupar, se cair em desgraça, deve ser invadida por Witzel.

Doria Júnior é mais fino, mais bacana. Foi bolsonarista na última eleição apenas por oportunismo. Pode ser a ressurreição do PSDB, com outras asas e outras plumas.

____________________________________________________________________

A SINCERIDADE DE MANDETTA
Luiz Henrique Mandetta está levando laço de todos os lados até agora por ter dito em coletiva que a saúde pública depende das negociações com o tráfico e as milícias.

A saúde pública deve dialogar com todas as áreas, incluindo as milícias, disse Mandetta.

A reação é moralista. Mandetta quis dizer que, sem conversar com os líderes das favelas, que são traficantes e milicianos, não há como combater a pandemia.

Mandetta poderia conversar antes com Flavio Bolsonaro, para saber como se dá essa conversa com a bandidagem.

Os Bolsonaros dialogam com as milícias, empregam gente da milícia, homenageiam milicianos, dão e recebem dinheiro das milícias.

O Ministério Público do Rio sabe bem como se dá esse diálogo. Mandetta foi apenas sincero.

____________________________________________________________________

AGORA ELES ADORAM A SAÚDE PÚBLICA
Boris Johnson saiu da UTI dizendo que foi salvo pelo sistema nacional de saúde, o SUS deles, com a diferença de que lá cuida também da classe média que aqui tem plano privado (e está no limite com a pandemia).

Aqui, Bolsonaro já fez algum elogio ao SUS? Mesmo que um elogio cínico? Alguém já ouviu Bolsonaro falar as palavras médicos, enfermeiros e profissionais de saúde?

____________________________________________________________________

O FALSO DILEMA
Na maioria dos países, o presidente da República fala como presidente da República.

“É falso o dilema entre economia e saúde. Mas eu prefiro que a Argentina tenha mais 10% de pobres do que 100 mil mortos”.

Alberto Fernández, presidente da Argentina.

____________________________________________________________________

O FUTURISTA
Osmar Terra vinha fazendo previsões otimistas para a pandemia porque achou que assim poderia ganhar a simpatia de Bolsonato, ao fazer o jogo da gripezinha, e substituir Mandetta.

Todas as previsões eram furadas. Osmar Terra sumiu.

____________________________________________________________________

HUMOR EM TEMPO DE PANDEMIA
Bolsonaro entrou na brincadeira das nove verdades e uma mentira. Essa lista foi enviada ontem por ele ao grupo do Whats criado pelo Augusto Heleno, que se chama ‘Nóis e Deus não tem medo do vírus, mano’, e vazou para um jornalista da CNN.
Essa é a lista de Bolsonaro, que tem, segundo ele, apenas uma mentira:
Fiz tudo isso daí e apenas uma coisa destas 10 coisas daí não é verdade:
1. Emprestei R$ 40 mil para o Queiroz.
2. Fiz um discurso na Câmara homenageando um miliciano.
3. O miliciano foi eliminado e eu não fui ao enterro.
4. Só recebi uma parcela do empréstimo que fiz ao Queiroz e ele ainda depositou errado na conta da minha mulher.
5. Prometi uma vaga no Supremo a Sergio Moro e depois descobri que ele não é terrivelmente evangélico.
6. Emprestei a Sergio Moro um livro com a biografia de Sergio Moro, que ele acabou não lendo.
7. Dizem que sou doente mental, mas eu sou mesmo é pilantra e mau-caráter.
8. Mandei meu filho brigar com a China e ele venceu, usando só arminha de dedos.
9. Já peguei o coronavírus, estou com imunidade e por isso ando passeando por aí.
10. Não sei, mas não sei mesmo, onde está o Queiroz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


3 + 6 =