Liberou geral

Vai para sorteio no Supremo o caso em que Eliseu Padilha e Moreira Franco são citados como agentes do Quadrilhão do jaburu. O ministro Edson Fachin pensou, pensou, pensou bastante e decidiu que o inquérito não deve mesmo ficar com ele, porque não tem relação com a Lava-Jato.

Passou a bronca para Cármen Lúcia, que vai mandar o caso para sorteio. Entenderam? Sorteio, de novo.

Outra vantagem para os dois denunciados. Se o processo for parar na primeira instância (se os dois perderem o foro privilegiado depois da eleição), Sergio Moro fica de fora.

Se não é processo da Lava-Jato, nem vai para Curitiba. Evita-se o constrangimento de o juiz ter de lidar com um caso tão cabeludo e sem petistas envolvidos.

E aí, meu amigo, um processo com esses dois numa vara qualquer de primeira instância… Todo mundo sabe o que vai acontecer. Serra, Aécio, o jaburu, Padilha, Moreira Franco, todos vão escapar da Justiça. A única chance de pegá-los é pela ação política.

Da quadrilha do golpe, só um ficará na cadeia: Cunha, porque alguém tem que manter isso aí. Geddel não conta, porque esse era apenas o guarda-malas.

Cunha está quieto porque recebe comidinha especial todas as semanas e só teria algum valor como delator se dedurasse alguém do PT.

Cunha é um pelego velho. Mas deve ficar preso. Se sair da cadeia, pode querer comer brioches de novo com o jaburu.

One thought on “Liberou geral

  1. Ganha uma Kaiser morna quem adivinhar o resultado do sorteio. Aleatoriamente, eu penso num nome… O nome é… O nome é… Gilmar Mendes! Aleatoriamente, eu falei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


4 + 5 =