Mais um

O deputado baiano Antônio Imbassahy, líder do PSDB na Câmara, era prefeito de Salvador, no final dos anos 90, quando o Tribunal de Contas da União e o Ministério Público identificaram superfaturamento de obras do metrô.

Os processos correm na Justiça contra os responsáveis pelo cartel que combinava preços e pagava propinas a gestores indicados pelo então prefeito. O Tribunal Superior Eleitoral já engavetou um processo.

Pergunte o que aconteceu a Imbassahy? Foi premiado agora com o cargo que era de Geddel (aquele da quitinete do Edifício La Vue) na Secretaria de Governo do Jaburu.

Os tucanos nunca são alcançados por investigações de obras superfaturas em trens fantasmas de São Paulo ou Salvador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


8 + 2 =