NÃO TENHAM MEDO DE MANDETTA

Tem gente da esquerda compreensivelmente preocupada com o crescimento de Luiz Henrique Mandetta. O cara pode se criar para 2022, é o que mais se ouve. Pode e vai se criar. Mas pensar em 2022 agora?

Se a guerra à pandemia ficar marcada como uma tragédia que poderia ter sido maior, mas que foi controlada pelas ações da Saúde, ninguém segura Mandetta. Se mesmo assim o coronavírus matar muita gente, mas o ministro conseguir convencer que tentou agir com determinação e sensatez, ninguém conseguirá segurar Mandetta.

Não há como segurar Mandetta. A impetuosidade do ministro é hoje a única chance real de provocar o descontrole sem volta de Bolsonaro, que ainda não chegou ao limite. Só Mandetta pode empurrar Bolsonaro para o penhasco. E à oposição só resta torcer.

Ninguém da esquerda quer casamento com Mandetta, envolvido em duas investigações antigas (engavetadas?) por superfaturamento e caixa dois e acusado de ser lobista explícito dos planos de saúde privados.

Mas é purismo demais achar que não se deve torcer por Mandetta na guerra contra Bolsonaro. Deixar como está só porque Mandetta vai crescer? Crescerá com ou sem torcida. Votou pelo golpe? Toda a direita votou, inclusive a considerada modera e aliada do PT.

O que tem que acontecer, e só Mandetta pode provocar tal situação hoje, é a total desestabilização de Bolsonaro e da sua base fascista de sustentação, com os filhos juntos.

O ministro tem que fazer, pela afronta diária às ordens do sujeito, como fez ontem de novo, com que Bolsonaro e os filhos cometam o último gesto.

Não dá para pedir que se deixe de torcer por Mandetta porque mais adiante ele será uma ameaça. Mais adiante o cenário será outro. A política de resistência não vive de imobilismo.

Passar a temer Mandetta, em nome do próximo medo com o seu crescimento político, é torcer, na inércia, por Bolsonaro.

Vale para Mandetta a posição do governador maranhense Flávio Dino em relação ao general Hamilton Mourão.

Dino deseja que Mourão assuma o lugar de Bolsonaro, não se sabe como, para que o país tenha dias melhores.

Os que dizem que Mourão pode ser mais perigoso do que Bolsonaro estão dizendo, na verdade, que foram sequestrados pelo poder de Bolsonaro de imobilizá-los pelo terror de uma falsa racionalidade.

Ninguém pode ser pior do que Bolsonaro. Nenhuma circunstância pode ser pior do que a que vivemos hoje. Não há como ser imobilizado diante do fascismo por falsas certeza do que pode vir a ser mais cruel do que o pacto do bolsonarismo com a morte.

Não é preciso ficar citando autores e referências pretensamente ‘eruditas’ para sustentar essa posição. Mas há aos montes.

As esquerdas que desejam deixar como está deixaram de ser esquerda. O cara que temos hoje é Mandetta. Não há ninguém da esquerda hoje mais poderoso do que o ministro da Saúde.

Avante, Mandetta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


5 + 1 =