Novos tempos

Compartilho este artigo do meu amigo Claudio Guedes, pulicado originalmente no FaceBook.

………………………………………………………….

NOVOS TEMPOS

Claudio Guedes

(Escritor)

A sociedade brasileira foi, de certa forma, tutelada pelo PT nos últimos anos. É sempre cômodo, quando temos governos democráticos, aceitar essa proteção que facilita, em muito, inclusive a tarefa, quase uma mania nacional, de esculhambar o próprio governo.

A defesa da democracia, das minorias, da cidadania, um dos grandes acertos dos governos petistas foi desconsiderado, por muitos do lado de cá – que se dizem defensores da democracia – e, obviamente, por todos do lado de lá – defensores do autoritarismo -, como se essa não fosse uma grande contribuição do partido à vida do país.

Muitos progressistas foram abduzidos pela cantilena moralista da santa aliança da toga parcial e antipetista com a mídia conservadora e reacionária, que inflou à estratosfera os erros do PT na questão do financiamento eleitoral e no fato de que alguns – poucos, na verdade, apenas uns gatos pingados – petistas se corromperam em benefício próprio.

A direita, como sempre mais esperta na manipulação de fatos e muito mais oportunista, soube aproveitar o vacilo de muitos, inclusive de pessoas sérias e comprometidas com a democracia, e transformou o antipetismo num programa eleitoral. Programa vazio de qualquer conteúdo mas com forte apelo emocional, poderoso o suficiente para desembocar na candidatura vitoriosa à presidência da República de um político grotesco, um homem sem qualidades, acolhido por uma legenda de aluguel.

E agora? Agora “Inês é morta”.

Muitos vão descobrir o imenso valor de termos governos preocupados com questões e políticas realmente significativas e decisivas à vida numa sociedade tosca e desigual como a nossa, ou sejam: de um lado, a defesa da democracia política e dos direitos das minorias e, de outro, ainda que timidamente, a gestação de políticas públicas de inclusão social.

Achavam pouco?

Bom, a partir de hoje, muitos vão passar a entender o quanto foram importantes e em quanto essas grandes escolhas, nada gratuitas, moldaram o ambiente salutar e generoso dos primeiros anos do século XXI no nosso país.

Recognition, quae sera tamen.

Depois é correr atrás do prejuízo.

Os truculentos e autoritários engrossaram o pescoço e vão dar trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


9 + 7 =