O Brasil é uma porteira aberta

Se pegar a moda lançada pela Valéria Monteiro (quem lembra dela no Fantástico?), muita gente sem partido, sem lenço e sem documento vai aparecer de repente como candidata a presidente ou a alguma outra coisa importante.
Eu mesmo quero ser jogador de alguma seleção. Não de futebol, mas de basquete. Só falta achar o país e a seleção que estejam dispostos a me aceitar. Eu aprendi com o Oscar e sou bom em cesta de três pontos. Vem comigo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


3 + 1 =