AS FESTAS DO CALHORDA CANSADO

Dá pra imaginar uma cena com o calhorda que faz festa, não usa máscara, aglomera-se nas ruas e não quer saber se vai infectar pais, avós, irmãos e amigos.

A desculpa desse calhorda é a de que ele está cansado de meses de restrições e isolamento. O calhorda se comporta como se fosse uma vítima das providências contra a pandemia.

Pois a cena imaginada seria esta. O calhorda negacionista seria infectado, iria procurar socorro em algum hospital e seria mandado embora da portaria.

O calhorda ouviria que médicos, enfermeiras e todos os profissionais da saúde do hospital não poderiam atendê-lo porque estavam cansados.

Admito que gostaria de ver essa cena. Confesso minha crueldade natalina.

Admito que a pena para os delitos do calhorda deveria ser uma situação que confrontasse seu ‘cansaço’ com a exaustão dos profissionais da saúde.

O calhorda sabe que isso não irá acontecer. Ele sempre terá alguém pronto a socorrê-lo.

Daqui a pouco ele sai para mais uma festa. O calhorda festeiro, mas ‘cansado”, é um criminoso convencido da própria impunidade e certo de que, quando precisar, será socorrido.

Por isso há tantos calhordas cansados.

2 thoughts on “AS FESTAS DO CALHORDA CANSADO

  1. Eu venho-me perguntando que geração é esta, de uma faixa etária que vai dos 18 aos 39 anos, que parece que não ter assimilado o mínimo de conteúdo comportamental e de compromisso para com a vida, para ficar nisso apenas. Observo aqui no Centro de Porto Alegre que a maior glória é estar sentado em um bar ( que nada tenho contra pelo fato em si) , consumindo bebida alcoólica, que é a droga “licita” mais consumida no país, ou mesmo vagando pelas calçadas, com um copo ou garrafa, se achando o máximo. Pandemia, responsabilidade social mínima, para consigo e para com outros, pra que? Mas estamos condenados à isso, pois a marca do “desenvolvimento econômico”da gestão que sai e dá que estará entrando na Prefeitura é estabelecimento comercial aberto. Saúde Coletiva, nem pensar.

  2. E que sentido faz são Paulo impor 3 dias com restrições, liberar 4 dias e, por fim, mais 3 com restrições? INÚMERAS cidades do estado, principalmente as do litoral, não respeitarão a decisão do governo estadual. Nossos geniais gestores estaduais descobriram mais uma fórmula para o fracasso sanitário e que se virem @s profissionais da saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


6 + 7 =